WoW: a pré-venda de Battle for Azeroth e as novas raças

Daí que ontem a Blizzard disponibilizou a pré-venda da próxima expansão de WoW, a Battle for Azeroth e fez seus servidores caírem com a novidade. Os fãs de World of Warcraft formaram verdadeiras filas virtuais (que acusavam até dois dias de espera!) e os servidores deram pau. Foi uma loucura.

wow

 

Não era para menos. O lançamento contava já com as 4 novas raças anunciadas na Blizzcon, o que deixou todo mundo curioso de como iria ser.

wow
eu tentando comprar a expansão

 

Claro, fiquei louca, pirada, doida pra dar meu dinheiro para a Blizzard. Porque sim. Porque a Blizzard é a Disney dos games pra mim. Eu sou fã de poucas coisas na vida, e essas são duas delas.

Mas o que tem demais nessa compra antecipada se nem dá pra jogar a nova expansão ainda?

Calma, meu pequeno panda, eu explico.

Como você já deve ter visto aqui, a nova expansão meio que nos faz voltar aos primórdios do Warcraft, quando a briga era entre Aliança e Horda. Aliás…Pela Aliança! (pra não perder o costume). Vai haver uma divisão do mundo inteirinho, ou seja. Kalimdor será toda tomada pela Horda e os Reinos do Leste pela galera da Aliança. Nessa briga, cada facção vai sair em busca de novos aliados, e com isso a Blizzard nos “presenteia” (mentira, isso é caro, mas a gente ama mesmo assim) com 4 novas raças. Sendo duas para Aliança (os Elfos Caóticos e  os Draenei Forjados a Luz) e duas para a Horda ( os Tauren Altamonteses e os Elfos Filhos da Noite).

Quer dizer, eu que sempre quis ter um blood elf na Aliança, vou finalmente ter algo semelhante que são os elfos do caos. Mas não é só comprar, logar e criar um novo personagem com a nova raça não. Tem que fazer uns paranauês. Como explicado no site da Blizzard:

Cada Raça Aliada tem requisitos próprios para ser desbloqueada, como cumprir missões ou ganhar reputação. Ao atender esses requisitos, você poderá embarcar numa missão para recrutar a raça para a sua facção. Se elevar um personagem de Raça Aliada do nível 20 inicial até o 110 sem usar upgrade, mudança de raça/facção ou níveis concedidos pelo programa Recrute um Amigo, você ganha a Armadura Tradicional da raça — um equipamento cosmético que poderá ser usado em qualquer personagem dela com que você jogar no futuro.

WoW
Agora Ventobravo tem uma embaixada (imagino que Ogrimar também), onde começam as missões para desbloquear as novas raças. Esse é o meu main char começando a brincadeira.

Tem duas opções de compra e preço: A versão Standard por 139,90 e a Digital Deluxe por 179,90. Segundo o site do game, as versões contam com os seguintes conteúdos:

Standard e Digital Deluxe:

  • Tudo o que Battle for Azeroth tem a oferece
  • Upgrade de personagem para o nível 110 a sua escolha
  • As missões para desbloquear as novas raças aliadas.

O diferencial do Digital Deluxe:

  • Todo o conteudo descrito acima
  • Montarias Ravassauro Dourado de Zandalar (Horda) e Garanhão Trança do Mar de Kul Tiraz (Aliança)
  • Mascote Capengo, o Filhote de Tortollano
  • Verso de card de Hearthstone
  • Sprays de StarCraft II
  • A montaria Sabre-das-chamas Primevo de Heroes of the Storm
  • Ícones, sprays, emotes e falas de Overwatch
WoW
Montaria e Mascote do pacote Digital Deluxe
WoW
Ao liberar as novas raças, novas montarias são liberadas também. Só alegria!
 O que eu fiz? Já corri e liberei minha turminha aliada. 

Bom, se tem uma coisa que essa nova expansão quer que façamos é declarar nossa lealdade. Podem me xingar, mas sempre fui Aliança de coração. Então corri para fazer as quests e já liberei as duas novas raças para a Aliança. No fim das contas eu queria mesmo eram os elfos caóticos, mas liberei os draenei também. Mas e quanto à hora? Ah… a horda tá lá.

Olha que linda confusão meu chars novos. *.*

WoW
Elfa Caótica, gótica suave.
WoW
Gótica suave chegando ao game pela Fissura de Telogrus
WoW
Rei Anduin Brad Pitt Wrynn dando boas vindas à Aliança.
WoW
Uma passadinha rápida no salão pra ajeitar a coloração dos cabelos e estou pronta!

 

WoW
Draenei Forjada a Luz. Achei pertinente fazer uma sacerdotisa. Será que dou conta de jogar?
WoW
Momento boas-vindas na Vindicaar
WoW
Ah pára Anduin… você diz isso pra todas!
Quando sai essa bodega afinal de contas?

Em Setembro! Sim pequeno elfo, em setembro a expansão vem com tudo. Quem tiver comprado agora já vai poder jogar sem dar nenhuma doleta a mais. Mas já até prevejo quedas de servidores, bugs e etc. Porque pra ficar perfeito tem que dar pau antes, né não?

Pela Aliança!

Grace and Frankie – uma série que eu amo, podem me julgar

Podem me julgar mesmo! Mas só depois de assistir. Grace and Frankie é uma série maravilhosa e eu vou contar porquê.

– Está pronta? – Só um segundo. Agora estou pronta.

 

Gracie (Jane Fonda) e Frankie (Lily Tomlin) são casadas respectivamente com Robert (Martin Sheen) e Sol ( Sam Waterston). E o piloto começa com um jantar a quatro em que Robert e Sol resolvem contar para suas esposas que querem se divorciar pois são gays e querem casar um com o outro.

Grace and Frankie

Isso depois de 40 anos de casados. Pra piorar, Sol e Robert tem um caso há pelo menos 20 anos. Imagina então. para Grace e Frankie, duas mulheres nos seus 70 anos de idade tendo que recomeçar.

Para piorar elas se odeiam, e acabam tendo que viver juntas como roommates enquanto seus maridos assumem o romance publicamente. Frankie é meio hippie, vegetariana, ativista, espírito livre, que fuma maconha de vez em quando. Enquanto Grace é uma mulher cheia de pose que foi uma grande empresária, toda certinha. Acaba que aos poucos elas constroem uma amizade excêntrica, divertida e muito bonita de se ver.

Grace and Frankie

Jane Fonda e Lilly Tomlin são hilárias em seus papéis e tem tiradas que me arrancam gargalhadas. Fora os momentos de emoção que de vez em quando aparecem.

O bacana de ver é que são mulheres fortes que reaprendem a viver numa nova dinâmica, tentando se entender com as tecnologias de hoje em dia, voltando a namorar e redescobrindo o prazer de viver (e do sexo também!). E são empreendedoras também. Ainda assim enfrentam todo tipo de preconceito pos serem mulheres idosas.

Porém, Grace and Frankie nos mostra que não há porque temer a terceira idade. Há vida depois dos 70, há vida depois do divórcio, há vida sempre que desejarmos. E não é necessário envelhecer e se internar em um asilo. Idosos são incríveis e devemos não apenas respeitá-los como incentiva-los a uma vida plena e realizada. É bom lembrar, meus queridos, que um dia, se Deus quiser, chegaremos lá também.

Grace and Frankie

Martin Sheen e Sam Waterston também dão um show. Cabe ao casal abordar questões bastante atuais com essa revelação que são gays e viveram muitos anos fingindo não ser.  Primeiro Robert e Sol acham que vão enfrentar algum preconceito, e percebem que a sociedade em que vivem já aceita mais do que aceitaria anos atrás. Eles tem seus conflitos e aprendem a viver como homens casados aposentados e tentando encontrar mais sentido à vida. Passam a ter amigos gays e a frequentar esse “meio” descobrindo coisas modernas das quais não faziam ideia em sua idade já avançada. São hilários também as as verdadeiras estrelas são Grace e Frankie.

Grace and Frankie

No meio dessa confusão toda ainda tem os filhos adultos dos casais tentando entender essa nova realidade. Eles são Brianna, Mallory, Bud e Coyote (June Diane Raphael, Brooklyn Decker, Baron Vaughn e Ethan Embry). As duas moças são filhas de Grace e Robert, e Bud e Coyote filhos adotivos de Frankie e Sol.

Grace and Frankie

A quarta temporada saiu este mês na Netflix e eu corri para assistir. Tem até participação da Lisa Kudrow, a eterna Phoebe Buffay de Friends, como Sheree.
Impecável como sempre, a temporada me deixou querendo mais e vou sofrer até sair a próxima. Abaixo o trailer da 4ª Temporada de Grace and Frankie!

Assistam, é bom demais!

Mais dicas de séries e filmes? Tem aqui!

 

This is Us – a série que todos deveriam assistir

Já aviso logo: me acabei de chorar assistindo a primeira temporada This is Us. E, apesar da ressaca moral, posso afirmar categoricamente que a série é maravilhosa.

This is Us

Se você se liga em premiações, deve ter pelo menos ouvido falar desta série nessa semana. No último domingo (dia 07/01), o ator Sterling K. Brown fez história ao ser o primeiro ator negro a vencer um Globo de Ouro. E olha, o cara mereceu. Aliás o elenco todo merece. São todos maravilhosos, mexem com nosso coração em suas interpretações primorosas. Cada um deles. Sério mesmo. Brilhantes!

Fazia tempo que eu queria assistir à essa série. Já havia ouvido falar bastante e vi trailer. Logo me interessei. Mas só agora consegui conferir no serviço de streaming da Amazon, o Amazon Prime. Valeu cada lágrima.

Para quem não conhece, This is Us é uma série dramática americana criada por Dan Fogelman e transmitida pela emissora NBC. Eu sei que a palavra “drama” já faz muita gente sair correndo. Mas, vai por mim, This is Us é lindo demais. Ela trata da relação de um grupo de pessoas que nasceram no mesmo dia. Rebecca (Mandy Moore) e Jack (Milo Ventimiglia) são um casal esperando trigêmeos em Pittsburgh. Kevin (Justin Hartley ) é um belo ator de televisão que está cansado de fazer papéis superficiais, Kate (Chrissy Metz) é uma mulher obesa que vive uma eterna luta para perder peso e Randall (Sterling K. Brown) reencontra seu pai biológico William Hill (Ron Cephas Jones) que o abandonou quando ele era apenas um bebê recém-nascido.

Jack, Kevin, Kate e Randall compartilham o mesmo dia de aniversário, 31 de agosto. Kevin, Kate e Randall no dia 31 de agosto de 1980 e Jack em 1944. Aliás, eu mesma poderia fazer parte dessa série, nasci no mesmo dia que o grande trio.

A série segue os irmãos Kate, Kevin e Randall, enquanto suas vidas se entrelaçam. Kate e Kevin eram originalmente parte de uma gravidez de trigêmeos, que foi descoberta no banheiro do Froggy’s, um bar, durante o Super Bowl XIV. A data de nascimento dos dois era prevista para 12 de outubro de 1980, mas eles nasceram seis semanas antes, em 31 de agosto. O irmão biológico da dupla morreu no parto. Seus pais, Jack e Rebecca, com a intenção de levar três bebês para casa, decidem adotar outro recém-nascido: Randall, um bebê negro nascido no mesmo dia, que foi levado para o mesmo hospital depois que seu pai biológico o abandonou em um corpo de bombeiros. – Wikipédia

A premissa é bastante simples. É um drama do cotidiano, de uma família que muito bem poderia ser a minha ou a sua. E é justamente aí que ela nos toca bem nas feridas. Situações com as quais podemos facilmente nos relacionar. É o tipo de série que nos faz sentir. Fala de família, de amor, de perdas, de superações, de aceitação, de perdão, de reencontros, enfim… Vou deixar o trailer falar por mim (não consegui trailer oficial legendado, então vai esse):

 

Se eu fosse você daria uma olhada nessa série. Com os lencinhos do lado. Se você tiver o mínimo de empatia, vai chorar igual criança. Se tiver vivido situações semelhantes então – como eu mesma vivi algumas retratadas ali – vai verter uma verdadeira cachoeira. Mas mesmo assim não me arrependo de nada. Pelo contrário, todos deveriam assistir.

Não vejo a hora de conseguir assistir a segunda temporada!

Dicas de outras séries e filmes? Tem aqui!