The Boys, série de super-heróis?

A Prime Video tá bombardeando a gente com publicidade sobre a série The Boys, e por isso resolvi checar a produção Prime Originals. Quando pensamos em super-heróis, pensamos imediatamente em pessoas com habilidades especiais – ou superpoderes – lutando pelo bem, defendendo pessoas de crimes e assim por diante. Afinal de contas é essa a definição de heróis. Heróis defendem o bem, enquanto vilões promovem o mal, certo? Mas e se esses super-heróis não passassem de humanos, cheios de defeitos, mas com superpoderes? É sobre isso que a série The Boys fala.

Foto: Divulgação

Baseada numa HQ homônima The Boys se passa nos dias atuais. Em uma realidade em que a sociedade está acostumada com a existência de pessoas com poderes e habilidades, as quais são chamadas de os “Super“. E existe uma equipe, a mais importante e famosa de todo o mundo, chamada The Seven (ou Os Sete), que em muito se assemelha à Liga da Justiça da DC. São personagens muito parecidos com o Super Homem, Mulher Maravilha, Aquaman, etc… Até aí tudo muito bacana, tudo muito legal. Mas a verdade é que, apesar dos superpoderes, eles são seres humanos com qualidades e defeitos.

The Boys é uma crítica social

Mais defeitos que qualidades, a bem da verdade. Nesta realidade, seres humanos muito espertos criaram uma agência de relações públicas a Vought que cuida da imagem desses heróis. Esses “Super” são como celebridades. Protagonizam filmes, publicidades, tem seus merchandisings e tudo, absolutamente tudo que fazem é voltado para a autopromoção. Como a Vought mantém os direitos de imagem deles e assinam seus gordos cheques, os super-heróis fazem o que a empresa manda.

The Boys - Os Sete
Foto: Divulgação

E se a gente for parar para pensar, seria assim na vida real também. Sem hipocrisias, se nós tivéssemos superpoderes, nós também nos deixaríamos levar pela nossa vaidade, principalmente se tivesse uma empresa importante massageando nosso ego e cuidado de tudo para nós. Como é feito hoje em dia com as celebridades. E por esse lado, a crítica social de The Boys é bastante forte.

Dito isto, dentro desse contexto, sabendo que os heróis tem seus defeitos e fazem besteira, quando o fazem, o fazem em grande escala. E há um grupo que está bem insatisfeito com isso. Esse grupo tentará dar uma “surra” nesses super que se acham acima do bem e do mal. E é aí que a série começa.

Para todo o resto do mundo, os supers são perfeitos. Por causa de toda a mídia que manipula a imagem deles e o público geral acredita no que lhes é mostrado (nem preciso dizer que é exatamente o que acontece com as celebs desde sempre né?). Mas nem tudo pode ser escondido. E sempre há alguém que tenha sido diretamente atingido pelos erros cometidos pelos supers. E se fossem só erros, tudo bem, mas a maioria deles tem um desvio de caráter absurdo. Corrompidos por seus próprios superpoderes. Se muitos de nós já vemos no nosso dia a dia alguma pessoas sucumbirem à síndrome do pequeno poder, imagine se houvessem pessoas com super força e etc?

Definitivamente não é uma série para crianças

Como citado acima, a série é baseada nos quadrinhos homônimos. A HQ de The Boys era publicada pela própria DC, mas foi cancelada pela mesma, por ter sido considerada depravada demais. Os super-heróis egocêntricos são criação de Garth Ennis e Darick Robertson.

Logo de cara já da pra perceber que não é uma série para crianças. The Boys já começa sangrenta e violenta (como é possível ver no trailer) e logo vemos que o caráter dos personagens é bastante duvidoso – pra não dizer péssimo. Além da violência e das falhas de caráter dos super-heróis que estão mais para super vilões, há cenas de sexo. Os Super se entregam aos seus instintos como qualquer pessoa faria, mas muitas vezes usando seus poderes para aumentar o prazer em sua própria experiência.

Todos esses fatores misturados resulta em cenas bem absurdas até. E tudo bem, essa fórmula faz com que a série desperte o interesse e faz com que a gente se pergunte “mas o que diabos ainda pode acontecer”. Como toda boa série, manter o interesse do espectador é primordial, e isso The Boys faz com maestria. Apenas não chame suas crianças para assistir. =)

2a Temporada?

Já saíram algumas notícias dizendo que The Boys terá sim uma segunda temporada e que será ainda mais violenta e explícita que a primeira. A primeira temporada conta com 8 episódios, cada um com 1 hora de duração aproximadamente e está disponível no serviço de streaming da Amazon, a Prime Video que está com produções bem bacanas, como American Gods e Good Omens, dentre outras.

O elenco conta com Karl Urban (que conhecemos de Senhor dos Anéis e Star Trek), Chace Crawford (de Gossip Girl), Elisabeth Shue (que tem um currículo super extenso, desde De Volta Para o Futuro).

Já assistiu? Conte nos comentários o que achou da série =)

Para mais dicas de filmes e séries, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *