Motivos para assistir a série Good Omens

Uma das séries mais comentadas das últimas semanas, Good Omens é baseada no livro de Neil Gaiman (autor do aclamado Deuses Americanos) e Terry Pratchett, Good Omens: Belas Maldições (em inglês- Good Omens: The Nice and Accurate Prophecies of Agnes Nutter, Witch).

Good Omens
Foto: Divulgação

A série baseada no romance de 1990, foi lançada no dia 31 de Maio deste ano pela Prime Video da Amazon. Ahh! Na Prime também é possível assistir Deuses Americanos.

Basicamente a história se trata de um anjo e um demônio tentando impedir o apocalipse, uma vez que acabaram se acostumando a viver na terra e gostam dela do jeito que ela é.

O anticristo já está na terra e é um menino de 11 anos de idade já chegando ao seu poder máximo. Como no filme de 1976, A Profecia. Porém, na obra de Neil Gaiman, as coisas ocorrem de um jeito bem inusitado. A série faz referência ao filme clássico de terror, mas não segue o mesmo caminho. Acaba tendo um tom mais cômico.

Assisti Good Omens e curti bastante. Por essa razão, decidi listar aqui alguns motivos para assistir essa série bacaninha.

1. Good Omens é uma série rapidinha

Se você tá afim de maratonar rapidinho uma série, Good Omens é perfeita. Tem apenas 1 temporada de 6 episódios e foi feita para ser uma obra fechada. O autor diz estar aberto para a possibilidade de uma segunda temporada, mas a ideia inicial era cotar a história toda nesses seis episódios.

Mas acredite, dá vontade de assistir mais.

2 . A Amizade improvável entre um demônio e um anjo

Aziraphale, interpretado por Michael Sheen é um anjo ex-guardião do Portão Leste do Jardim do Eden, que atualente vende livros em uma livraria antiga. E Crowley, interpretado por David Tennant, era o demônio em forma de serpente tentou Eva e a comer a maçã e originalmente tinha o nome de Crawly, uma referência ao rastejar das serpentes (to crawl, em inglês).

Aziraphale e Crowley - Good Omens
Foto: Divulgação

Eles que deveriam ser rivais, acabam desenvolvendo uma estranha amizade. Inicialmente ligados apenas pelo interesse em salvar a terra pois gostam de viver entre os humanos, acabam se importando de verdade um com o outro.

É um desenvolvimento bastante interessante de ver entre os dois personagens. Com direito a flashbacks históricos.

3 . David Tennant um dos melhores Doctors

Falando em Crowley, o ator David Tennant que o interpreta é um dos melhores Doctors ( na minha opinião) em Doctor Who.

É bem bacana ver o ator novamente em uma série, ainda que curta, dando um show com sua interpretação de um demônio debochado, super troll, meio blasé, e hedonista. Ele despreza sua própria espécie e faz o mínimo necessário dos seus deveres demoníacos.

4 . Trilha sonora: Queen

A trilha sonora se resume a uma palavra: Queen. São as músicas da banda inglesa que anunciam as entradas de Crowley em cena. São elas que marcam os principais acontecimentos. Ouso dizer que elas ditam o tom da série como um todo.

5 . Bruxas boas e anjos nem tão anjos assim

Como sugere o nome original do romance de Neil Gaiman, Good Omens é sobre as previsões bastante precisas de uma bruxa chamada Agnes Nutter. E são previsões bem precisas mesmo. Se fossem mais específicas, seria basicamente o roteiro da história.

Anathema Device

Quem segue essas profecias como o roteiro da própria vida é Anathema Device (nome estranho né?). A jovem é descendente da bruxa Agnes Nutter e anda de um lado pro outro com as previsões da antepassada. Vivida pela belíssima atriz Adria Arjona, a bruxa boa tem como missão de vida impedir o fim do mundo.

Enquanto isso, os anjos estão bem animados com a guerra que está chegando. Querem mais é ver o circo pegar fogo para poderem se armar até os dentes e lutar contra os demônios novamente. E ficam bem felizes quando as coisas que Aziraphale tenta fazer para salvar o mundo dão errado.

Aliás, o anjo Aziraphale é extremamente doce e bonzinho. Sem maldade, ingênuo demais, acaba se dando mal diversas vezes por causa de sua bondade.

7 . A treta com o grupo Return to Order, e a camaradagem entre a Netflix e a Amazon

E não é que a série teve sua treta? Um grupo de cristãos chamada Return to Order fez uma petição pedindo o cancelamento da série. O grupo acusa a empresa de blasfemar contra a religião católica ao retratar satanistas como bonzinhos, usar uma voz feminina para representar Deus (Frances McDormand ) e exibir anjos e demônios como amigos e embaixadores do bem e do mal na Terra.

Mas daí o que aconteceu? O grupo direcionou a tal da petição à Netflix, quando na verdade a série é uma produção original da Amazon. Isso fez com que as duas empresas brincassem uma com a outra no Twitter. A Netflix chegou a dizer “tá bom, não vamos mais fazer isso”. Enquanto a Amazon twittou para a Netflix: “Hey Netflix, cancelaremos Stranger Things se vocês cancelarem Good Omens”.

Eu respeito completamente a religião de todas as pessoas, mas definitivamente não dá para levar a sério uma série como Good Omens. É entretenimento puro, é para curtir e rir, apenas isso. E eu sempre achei que Deus tivesse um excelente senso de humor. Certeza de que ele não se chateia com a produção. Pode assistir sem medo.

2 thoughts on “Motivos para assistir a série Good Omens

  1. Roneyb says:

    Amei na série, além da narrativa deliciosa que poucos sabem construir como Pratchett e Gaiman, a forma como ela desconstrói estereótipos de bem e mal!

    Apesar de ser mesmo uma série até leve e descompromissada ela atinge certeira esse que é um dos piores males atuais: o maniqueísmo que nos divide entre anjos e demônios… Aliás, os dois “lados” acham que são anjos e os outros são demônios e… na verdade… Nem é um fenômeno recente, ele estava lá atrás de todas as guerras, me lembro agora de como ele é mostrado em Gen, de pés descalços, o Mangá sobre o Japão na 2ª Guerra Mundial.

    Melhor que isso só a forma suave como ela conduz a história e ainda aborda um monte de outras questões vitais!

    (Também adoro o Tennant!)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *