His Dark Materials – Fronteiras do Universo

Calma, eu sei, esse blog anda super abandonado, criando teia de aranha, uma vergonha. Sumi sem avisar, espero que me perdoem, mas a vida estava uma maravilhosa correria. Dito isto, vamos ao que interessa, vamos falar de séries. Vamos falar de His Dark Materials.

His Dark Materials

Tem muita série boa chegando nos serviços de streaming neste fim de ano. Tanta coisa que fica cada vez mais difícil escolher o que assistir. Mas há uma que me chamou muita atenção, e, como citei acima, é a His Dark Materials – Fronteiras do Universo. Baseada na trilogia de livros de Phillip Pullman, a série é produzida pela BBC e sua primeira temporada de 8 episódios estreou na HBO em novembro deste ano.

A história se passa em uma realidade paralela a nossa, onde as tecnologias tem uma pegada levemente steampunk e existem criaturas como bruxas, ursos de armadura, espectros e anjos. Além disso, cada ser humano tem um deamon, ou seja, uma manifestação física da alma em forma animal.

Os deamons se ligam aos humanos no seu nascimento e podem mudar de forma a qualquer momento que desejarem durante a infância do humano. Quando este atinge a adolescência, o deamon se fixa na forma do animal que melhor representa a alma do humano. Geralmente são do sexo oposto, mas há exceções. Eles se comunicam telepaticamente ou por fala com seus humanos, mas podem falar com outros também.

Os deamons não podem se distanciar muito de seus humanos, isso lhes causaria dor. Além disso, quando um é ferido, o outro também é, e quando um morre o outro também se vai.

Lyra e seu deamon Pan

A protagonista da primeira temporada de His Dark Materials é Lyra Belacqua, vivida por Dafne Keen, a atriz brilhante que fez o papel de X23 no filme Logan. Confesso que a garota me impressiona. Os diálogos que ela tem com adultos são de igual para igual. Personagem extremamente sagaz, mesmo em seus mais simples questionamentos, fica fácil esquecer que a menina ainda é apenas uma criança. Com o intuito de encontrar seu melhor amigo desaparecido, ela com toda sua diplomacia, convence facilmente aos que estão a seu redor a confiar nela.

Muito mais complexa do que imaginamos, a trama vai se desenvolvendo e novos personagens vão sendo apresentados. Personagens que rapidamente aprendemos a gostar e outros que odiamos logo de cara. Já outros que são completamente dúbios.

Lorde Asriel é interpretado por James McAvoy e dispensa comentários. Todos conhecem a excelência do ator, principalmente quem assistiu Fragmentado e Vidro. Seu misterioso personagem pode despertar sentimentos contraditórios, ainda mais quando se trata de sua relação com a sobrinha.

His Dark Materials
Lorde Asriel

A vilã da temporada é Marisa Coulter, uma mulher ainda mais misteriosa que Lorde Asriel, e, em certos momentos, assustadora. De início não sabemos muito bem o que ela quer, e o olhar meio doentio que Ruth Wilson empresta à personagem nos faz querer distância de Marisa. Ela certamente não é boa notícia. Mas será mesmo?

Marisa Coulter

Os demais personagens que surgem ao longo da série são um deleite. Todos aqueles que acolhem a jovem Lyra em sua jornada para resgatar seu melhor amigo Roger Parslow (Lewin Lloyd), nos despertam o mesmo sentimento de acolhimento. E a menina é mais sábia que muito adulto ao decidir confiar nas pessoas em seu caminho.

Quanto à trama, ela é um pouquinho complicada. Cheia de reviravoltas, ela gira em torno do , o Magisterium e crianças desaparecidas. Não se sabe ao certo o que o Pó é de fato. Sabe-se que são partículas que escorrem pelos mundos e se fixa nos seres vivos. Acredita-se que é aquilo que une todas as coisas que existem, uma espécie de Força. Mas os religiosos do Magisterium, acham que o Pó é a representação direta do pecado, uma vez que ele se acumula com maior intensidade nos humanos a partir de sua adolescência. Em His Dark Material, o Magisterium controla a sociedade como um todo e, principalmente a sociedade científica. Isso faz com que os conflitos da jovem Lyra sejam muito mais complexos do que ela imagina.

His Dark Materials
Lyra e Roger

Tecnicamente falando, há muito CGI. E não poderia ser diferente, uma vez que os atores humanos constantemente precisam interagir om seus deamons e outras criaturas. Mas isso não incomoda de jeito nenhum. Os animais se movem de forma realista, nos fazendo esquecer do CGI por detrás daquilo. A gente começa a querer ter um deamon com quem conversar também.

Cada episódio de His Dark Materials tem uma duração de aproximadamente 60 minutos. Não é uma série leve e infantil apesar de toda a magia envolvida. As crianças presentes na obra e na série são essenciais para o desenvolvimento da trama, e enfrentam dilemas que muitos adultos da nossa geração não dariam conta de enfrentar. Antes mesmo de estrear já havia sido encomendada a segunda temporada que deverá contar com 8 episódios, assim como a primeira.

Vale a pena. Aproveitem os recessos de fim de ano para assistir =)

Excelente 2020 para todos 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *