As coisas acontecem fora da sua zona de conforto :)

Conforto é bom né? Adoro. Pra mim não há nada mais confortável e gostoso que ficar em casa, aconchegada nas cobertas, com uma caneca de chocolate quente vendo um filminho. Isso no inverno né. No verão a coisa melhor é ficar no ar condicionado, de preferência bem frio mesmo e me agarrar nas cobertas. Aquela preguiça total. Mas se eu quiser que alguma mudança ocorra minha vida, eu preciso sair da minha zona de conforto.

zona de conforto

Ah, mas tá tão gostoso aqui….

Eu sei, eu sei. E tudo bem, zona de conforto é bom mesmo. Te hora que a gente precisa mesmo disso. Do conforto, de se sentir protegido, de se esconder um pouquinho desse mundo louco.  De comer uma comidinha gostosa, um comford food. “Tudibom” na vida.

Sabe onde mora o perigo? Nesse esconderijo que você gosta de ficar de vez em quando. Um diabinho fica ali no seu ouvido dizendo “Levantar pra quê? Pra que você vai se incomodar com os problemas do seu amigo? Pra quê dieta se esse bolo de chocolate te faz tão feliz?! Ir pra academia, quem faz isso?? Fica aqui que tá gostosinho, você merece uma pausa…” Aí, você vai acreditando nesse diabinho da indulgência e acaba se rendendo a ele.  Sim, você merece uma pausa de vez em quando! Não me leve a mal. O problema é querer morar na pausa, entende?

Querer é poder mas…

Eu não vou emagrecer só de estar aqui desejando muito e pedindo pra uma estrela cadente ou acendendo uma vela pro santo das causas desesperadas. Ajuda o santo a te ajudar, meu bem. Quer emagrecer pra ser mais saudável, pra se sentir mais bonita (o), pra esfregar na cara da sociedade o quão gata você é, pra entrar naquela calça? Não importa o motivo.  Vai ter que sair da zona de conforto sim. Planejar uma alimentação saudável, mudar hábitos e fazer exercício! (Confesso que queria que aquela história de emagrecer dormindo fosse verdade, mas tentei e não deu certo, juro!) E dependendo do caso, alem de conversar com o médico direitinho e consultar um nutricionista, pode ser que algumas pessoas precisem de cirurgia. Mas aí o buraco é mais embaixo…. e outra, saúde em primeiro lugar sempre, tá?

Isso é só um exemplo, claro. Serve para tudo na vida. Se há algo que você deseje, precisa fazer algo a respeito. Precisa sair da casca.

Se seu sonho é viajar o mundo, não fica esperando ganhar na loteria. Junte dinheiro, planeje, faça orçamentos. Escolha um lugar pra ir primeiro, pesquise os preços. Se for necessário faça uma economia pra atingir seu objetivo mais rápido. Você precisa mesmo daquela “brusinha”? Nem é um sacrifício tão grande, vai?

Falando em sacrifícios…

Quando eu estava na faculdade, meu sonho era fazer uma pós graduação no exterior. Eu não sabia exatamente como seria, mas eu sabia que, pra início de conversa, teria que aprender a língua nativa do lugar escolhido por mim. Enquanto cursava a faculdade paralelamente comecei meu curso de Italiano. Consegui um curso bom praticamente gratuito e todo sábado de manhã cedinho estava eu lá assistindo as aulas. Isso depois de ter passado a semana inteira na faculdade estudando o dia inteiro (meu curso era integral).

Foram muitas e muitas horas de dedicação da minha vida. Era sacrificante, era. Mas era só o começo. Depois de me formar comecei a trabalhar e passei mais dois anos juntando dinheiro para poder ir. Escolhi o curso, dei entrada nos procedimentos pela embaixada. Tudo muito burocrático, lento e dispendioso. Contei com ajuda de família e amigos, graças a Deus. Até que finalmente parti. Teria que primeiro passar numa prova de ingresso na universidade de lá. Uma prova na língua nativa deles. Consegui.

Os próximos quase três anos estudando lá foram os mais difíceis. Apesar da experiência maravilhosa que foi eu passei por muitas dificuldades. O dinheiro que eu havia juntado não era nem de longe o suficiente para sobreviver lá. Tive que conseguir empregos e trabalhei em call centers e dando aula de português em uma escolinha de línguas estrangeiras em Roma. Mesmo assim o dinheiro era curto. Cheguei a passar fome alguns dias quanto tudo o que tinha era 5 euros no bolso. Tive momentos de frio também já que nossas roupas brasileiras não estão preparadas para o frio que faz no exterior. Foi assustador, mas eventualmente as coisas melhoraram. Consegui uma bolsa de estudos e consegui viver com um pouco mais de serenidade e me dedicar melhor aos estudos.

Sair da zona de conforto vale a pena sim!

Foi difícil demais. Mais do que eu imaginava. Chegava a ser opressor o fato de ter que falar outra língua praticamente 24h por dia todos os dias. Aprendi demais com isso, mas não foi fácil. Não foi nada fácil se sentir sozinha, não foi nada fácil enfrentar preconceito até mesmo de professores por ser sul-americana. (sim, teve até isso!) Cheguei a desenvolver um mini pânico, que era assim: quando eu me deitava para dormir, e começava a pegar no sono, eu acordava assustada com falta de ar. Achei que fosse algum problema de saúde, mas conversando com meu pai no telefone ele quem me deu o toque que era algo relacionado ao meu psicológico.

Falando em pai, eu o perdi enquanto estava morando longe. Os dois últimos anos da vida dele eu não estava com ele. Ele morreu em um acidente uns dias antes de ir me encontrar na Itália para me ajudar a encontrar um apartamento novo pra alugar pois eu precisava me mudar. Foram muitos os sacrifícios. Muitos mesmo.

Aí você me pergunta: valeu a pena sair da sua zona de conforto e viver tudo isso, passar por coisas tão ruins? Sim, valeu. Eu perdi meu pai sim, mas porque era a hora dele. Eu tenho certeza de que ele se foi orgulhoso da filha que tinha. Ele me criou pra enfrentar essas batalhas e sair mais forte delas. E foi o que eu fiz.

O que eu aprendi com as minhas experiências:

Os sacrifícios foram muitos. Mas realizei muitos sonhos também. Viajei o mundo – não tanto como a Glória Maria, mas ainda há tempo. Aprendi a me adaptar a todas as situações para sobreviver de maneira digna. Aprendi que a vida não é bolinho e não adianta ficar de mimimi esperando que passem a mão na nossa cabeça. Pois não irão. A vida bate, mas é pra você se levantar e encarar ela de volta.

Em contrapartida aprendi também que sozinhos não vamos a lugar nenhum. Que mesmo de longe amigos são valiosos nas horas mais escuras e que afastá-los é burrice. Uma palavra amiga, um conselho, são necessários no nosso kit de sobrevivência. Além disso, as adversidades existem para nos depurarmos. Não se pode viver isolado, escondido. Tudo faz parte do nosso crescimento e evolução.

Aprendi a ser mais generosa, mais honesta – principalmente quando tudo parecia ser enganação. Aprendi que devemos ser sempre gentis, mas às vezes é necessário sabermos nos impor para sermos respeitados.

Aprendi a comer coisas diferentes, a cozinhar pratos típicos de lugares que visitei, a apreciar culturas.  Nossa… quanta coisa eu já vivi e já aprendi! E continuo aprendendo! Vou me aprimorando para sempre me tornar uma pessoa mais feliz e realizada. Sem depositar meus sonhos na conta de ninguém, pois os meus sonhos são meus e não dos outros.

Continuar a sonhar é importante. Mais importante ainda é buscar uma maneira de realizar.

Eu acredito de todo o coração que é importante continuar sonhando. Sonhar e realizar, sonhar e realizar. Isso me faz continuar seguindo esperando pela próxima novidade da vida que vai fazer meus olhos brilharem. Não quero nunca perder esse brilho.

É preciso ter propósitos na vida. Caso contrário a gente estagna lá na zona de conforto e não sai nunca mais. E quando a gente estagna sabe o que acontece? Começamos a achar tudo um tédio, tudo um saco, começamos a reclamar de tudo, brigar por besteira e há até quem caia em depressão.

Então vamos combinar uma coisa? Por mais difícil que seja, por mais sacrifícios que envolva, planeje, se levante, e corra atrás dos seus sonhos. Porque do céu só cai chuva (e neve em alguns lugares). E nem adianta esperar por um meteoro pra destruir a humanidade e resetar tudo de errado que há, as chances são bem poucas. Então bora se levantar que esses sonhos aí não vão realizar sozinhos. Fora dessa zona de conforto já!

Beijos e até semana que vem! Que seu fim de semana seja lindo e cheio de novidades!

Gosta de textos assim? Tem mais aqui ó.

Posts Relacionados

3 thoughts on “As coisas acontecem fora da sua zona de conforto :)

  1. Lilian Raquel says:

    Sair da bolha é assustador, mas é muito libertador.
    Eu até hoje lembro do meu sentimento de medo na entrevista de emprego, era basicamente meu terceiro emprego…em um eu não fiquei nem 15 dias, e eu tinha estado parada por mais de 10 anos…então o medo era imenso…mas mesmo assim fui em frente, morrendo de medo, mas fui. Quando eu voltei pra casa que tinha passado para a fase de treinamento e tinha tudo pra ser contratada, foi uma sensação indescritivel…aquele dia foi minha primeira dançinha de elevador e até na escada rolante, parecia uma doida feliz…e era bem isso que eu era no momento. 4 anos se passaram e apesar de todos os perrengues e pessoas não-legais que encontrei no caminho, na maior parte valeu a pena. Eu cresci muito com isso.
    Obrigada por esse post mana. Me emocionei muito quando li a primeira vez, e hoje precisava voltar pra comentar.

    • Cyn Cardoso says:

      Ownn mana, que lindo esse seu depoimento! É tão bom quando superamos os nossos medos e conquistamos as coisas que almejamos né? Muito orgulho de você!
      Parabéns por ser essa mulher incrível! Muito orgulho de você! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *