BlizzCon 2018 – Painel Vozes da Guerra: Horda vs. Aliança

Um painel que eu gostei muito de assistir na BlizzCon do ano passado foi o que mostra os dubladores do jogo World of Warcraft. Nesta BlizzCon 2018 quis assistir também e não me arrependi. Pelo contrário, tive gratas surpresas. Este ano, a diretora de elenco de voz,  Andrea Toyias chamou ao palco outros atores que contaram um pouco de sua experiência, além de Steve Danuser, o diretor de narrativa do game.

BlizzCon 2018 - Painel Vozes da Guerra

Josh Keaton é o dublador que dá voz ao rei Anduin Wrynn. Dublador de vários desenhos animados e games, ele diz ser jogador de WoW desde a época do vanilla e gostar muito de jogar com a classe druida, seja na Horda como na Aliança. Ele disse ter sido engraçado atuar como Anduin, pois na época que jogou na Horda ele se lembra de ter feito uma quest que deveria atacar o então príncipe Anduin dublado por ele próprio desde a adolescência. Mas ele passou tanto tempo no jogo, e ama tanto o jogo, que quando foi fazer o teste para o papel ele sabia exatamente do que se tratava e o que deveria fazer.

O interessante da trajetória dele é ver que ele cresceu junto com o personagem. Quando Anduin perde o pai em batalha e se vê obrigado a assumir o trono seguindo os passos do pai, quem dá a emoção do luto e do peso da responsabilidade é o ator, que acaba vivenciando isso com o personagem. E, como ele nunca passou por uma experiência parecida na vida real, ele precisou sentir como se fosse algo seu.

BlizzCon 2018 - Painel Vozes da Guerra

Patty Mattson dubla Sylvanas Correventos desde sempre. Competentíssima em seu trabalho, ela veste a camisa e é toda horda. Ela conta que é um desafio enorme interpretar alguém tão sombrio, mas que é gratificante.

A diretora de elenco de voz,  Andrea Toyias, conta que, como parte do treinamento do papel, pede que os atores sempre se relacionem de alguma forma com seus personagens, que tentem se identificar com eles. Ela faz com que os atores façam improvisações para entrar em contato com suas próprias emoções. Assim, na conversa com a atriz Patty conta que durante esse processo, ela se deixou levar pela emoção que lhe foi requerida, a raiva, o ódio mais cru de Sylvanas.

BlizzCon 2018 - Painel Vozes da Guerra

A talentosa Laura Bailey é Jaina Proudmoore também desde sempre. Desde quando Jaina era uma jovem maga ingênua que acreditava na paz e no amor, até agora, se tornando alguém tão poderosa que não está mais pra brincadeira. Ela conta que, agora que Jaina se tornou tão poderosa, quando entra no estúdio para gravar ela se concentra na postura corporal e na mentalidade que traduzam esse poder.

Em Battle for Azeroth, Jaina tem que enfrentar seus próprios demônios e pedir perdão a sua mãe, acreditando que merece qualquer coisa que a mãe impor já que está mergulhada na culpa. De fato, no jogo uma das coisas que mais me tocou pessoalmente foi essa relação da Jaina com a mãe. Eu torci demais para que Jaina conseguisse o perdão de Katherine, pois pessoalmente eu acredito que nada deveria ficar entre mãe e filha. Foi emocionante ver as duas, o perdão, o resgate dessa relação. Me tocou demais assim como a música do curta focado na Jaina. Que aliás, para encerrar o painel com chave de ouro, Laura Bailey, a emocionante Temei a Filha do Mar ao vivo.

BlizzCon 2018 - Painel Vozes da Guerra

Indira Varma, que você certamente conhece de Game of Thrones no papel de Ellaria Sand, é Katherine Proudmoore, a mãe de Jaina. Ela contou que era sua primeira convenção. Se emocionou com a abertura mesmo sem ser gamer, especialmente na hora em que a frase “Wellcome home” aparece. Eu também me emocionei muito nessa hora, mas eu não imaginava que alguém que não fosse gamer se emocionaria também. Afinal, sempre digo que sou super suspeita pois sou muito fã da Blizzard. Indira contou que gravou seu papel lá de Londres mesmo e teve a sorte de ter Laura para trabalharem os diálogos em tempo real. Falou do orgulho de sua personagem Katherine impedindo-a de reconectar com a filha e se imaginava no lugar dela para sentir. Mas revelou que se o texto está bem escrito, ao falar a emoção vem. Teve medo de não fazer justiça ao papel, mas foi preciso superar isso e fazer o personagem vivendo o momento. Andrea, a diretora de voz, reforçou que quando pede que os atores interpretem seus papéis, ela pede que tragam algo de si mesmos para o papel, suas emoções, suas vivencias.

Indira acha que há um lado importantíssimo e libertador em atuar como dublador pois ninguém vai julgar sua aparência, seu cabelo, seu peso, sua cor. O importante mesmo é a emoção que é passada através da voz. Na relação de Jaina e Katherine há muita mágoa, vulnerabilidade, raiva e então o perdão. por fim a mãe empodera a filha dando-lhe o controle da infantaria de Kul Tiraz tornando-a Lorde Almirante de Kultiraz.

BlizzCon 2018 - Painel Vozes da Guerra

A atriz Susan Wokoma é quem dá a voz e o tom à Princesa Talanji. Visivelmente emocionada de estar na BlizzCon diante daquele público apaixonado, ela afirmou ela queria fazer parte da família Blizzard. Chamou ao palco uma cosplayer vestida de Princesa Talanji e, abraçando-a, tirou foto com ela.

Ficou encantada com a grandiosidade e complexidade da personagem que quer salvar seu povo. Uma princesa, uma líder feminina poderosa. Mais encantada ainda com o fato de ter a oportunidade de interpretar algo importante assim, como mulher negra fora dos padrões impostos pela mídia e orgulhosa de ser quem é. Para ela foi preciso acessar a lembrança da perda pessoal do pai, no momento em que a princesa perde o pai no jogo. Apesar disso, ela se sentiu confortável, segura para acessar esses sentimentos no ambiente de gravação de voz dos personagens na Blizzard.

BlizzCon 2018 - Painel Vozes da Guerra

Rokhan é interpretado por Abubakar Salim que fez algumas séries de tv como Black Mirror e faz a voz de Bayek  no game Assassin’s Creed. O ator achou incrível a energia na BlizzCon, disse ser um lugar cheio de amor. Assim como Josh Keaton, Abubakar joga World of Warcraft e já esteve na Aliança, mas agora está com a Horda. Ele conta que interpretar Rokhan é divertido pois o personagem é um troll bad ass e é algo visceral.

No jogo, as diferentes tribos de trolls estão se unindo por um bem maior. Eu não jogo na Horda então tenho pouco contato com esses personagens, mas acredito que deve ser incrível acompanhar a história deles. Os trolls tem algo de mais tribal neles, mais primitivo, mas o jeitão descontraído deles sempre me fez achar a raça super bacana no jogo. O ator diz que, apesar de serem todos personagens de um jogo de fantasia, eles lidam com problemas reais, problemas que qualquer um de nós poderia se relacionar. São sentimentos, qualidades e defeitos bem humanos que qualquer um de nós pode ter. E essa é a beleza do jogo. Eu devo dizer que concordo.

BlizzCon 2018 - Painel Vozes da Guerra

Bwonsamdi é um personagem que eu acho particularmente divertido. Nós da Aliança por enquanto só os encontramos ao morrer em Zandalar e ele fala umas frases de um jeito divertido antes de trazer-nos de volta a vida.  Alex Desért diz que se divertiu muito fazendo o personagem, e isso se reflete na voz que escutamos. Quase dá vontade de ir na Horda conhecer ele. Mas calma, só esperar um pouquinho que a vontade de virar Horda passa. Passou.

BlizzCon 2018 - Painel Vozes da Guerra

A parte que eu mais amei de todas foi conhecer a atriz Maryann Strossner que faz a voz da tortollana mais fofinha que existe nesse World of Warcraft, a Sábia dos Pergaminhos Nola. Ela simplesmente é a vózinha mais fofa do mundo. Me lembrou muito minha avózinha. Claro que ela disse a sua frase mais marcante do jogo, “uma tartaruga chegou à água” e a galera foi a delírio. Muito amorzinho <3

 

Gostou? Compartilhe!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *