Amor Verdadeiro na Livraria dos Corações Solitários, Annie Darling

Leve. Se há uma palavra para descrever Amor Verdadeiro na Livraria dos Corações Solitários essa palavra seria leve. Leve como somente Annie Darling sabe escrever.

Amor Verdadeiro na Livraria dos Corações Solitários

Enquanto A Pequena Livraria dos Corações Solitários conta a história de Posy Morland, esse segundo livro é focado em Verity, a funcionária introvertida da livraria Felizes para Sempre. Nesta série de livros, a autora Annie Darling se propôs a contar as histórias de cada um dos funcionários da livraria herdada por Posy, um grupo de personagens que ela chama carinhosamente de “‘alegre bando de desajustados” que por uma razão ou outra desistiram do amor e, ainda assim, o encontram quando menos esperam”.

Amor Verdadeiro é mais ou menos assim: Verity Love, super introvertida, decidiu ficar sozinha. Como ninguém a deixa em paz por causa disso, ela tem Peter Hardy, um namorado fictício que é muito útil para ajudá-la a escapar de eventos sociais indesejados. Devido a um mal entendido, ela se vê obrigada à apresentar a suas amigas um total estranho como namorado, complicando sua vida que era até então bastante simples e tranquila. Acontece que para Johnny, ter uma namorada fictícia pode ser bastante útil, então ele convence Verity a seguir com a farsa. A proposta é que a parceria dure apenas durante o verão, quando casamentos, festas de aniversário e diversos eventos ocorrem. A única promessa que fazem um ao outro é não se apaixonarem, já que Verity escolheu vier sozinha e o coração de Johnny já tem dona. – Nada disso é spoiler, está tudo na contracapa do livro!

Ao ler Amor Verdadeiro na Livraria dos Corações Solitários temos aquela nítida sensação de que Verity,  Johnny e todas as irmãs malucas de Verity passam a ser nossos amigos. Até os pais de ambos. Até os amigos deles. A gente fica mesmo querendo fazer parte daquela família barulhenta de Verity. Isso porque nos sentimos como se qualquer uma dessas pessoas ao mesmo temo incríveis e acessíveis poderia ser um amigo próximo. Ler Amor Verdadeiro na Livraria dos Corações Solitários é fácil e gostoso como comer um cupcake em uma agradável e alegre tarde de sábado. Como passar alguns momentos descontraídos conhecendo novos amigos e passando boas horas com eles.

Enquanto A Pequena Livraria dos Corações Solitários decepciona um pouco por causa de uma protagonista um pouco atrapalhada e fraca demais, Amor Verdadeiro na Livraria dos Corações Solitários tem uma protagonista com a qual posso me identificar melhor. A sua maneira, ela é mais forte que Posy, menos ingênua, e nada atrapalhada. Mesmo sendo bastante discreta e precisar de uns momentos sozinha para recarregar as baterias após intensa interação social. Nesse ponto eu me identifico totalmente por ela, pois também sou assim.

Romântico, e até mesmo um pouco clichê, Amor Verdadeiro na Livraria dos Corações Solitários tem o final que a gente espera e deseja, mas sem deixar de nos emocionar e sair da experiência literária mais leves e mais esperançosos com as coisas do mundo. Suspiros, borboletinhas no estômago e aquela vontadezinha de “quero mais um conto de fadas com final feliz, leve, descomplicado, como uma comédia romântica de sessão da tarde.

Vale a pena mencionar que Verity é fã de Carteirinha de Orgulho e Preconceito de Jane Austin, assim, o livro traz várias citações do clássico de maneira bem divertida e pertinente. O que Elizabeth Bennet faria…?

Fico me perguntando quando sairá o próximo livro e qual dos funcionários será o foco. Tom ou Nina? Não sei.. acho que o Tom… já tenho até algumas ideias a respeito dele que costuma ser tão reservado…

Então, se você busca uma leitura leve, gostos e  fluida, Amor Verdadeiro na Livraria dos Corações Solitários é uma ótima pedida. Vai te distrair sem se aprofundar muito em assuntos mais pesados.

Amor Verdadeiro na Livraria dos Corações Solitários, publicado pela Verus Editora, com tradução de Cecília Camargo Bartalotti, é o segundo livro da série A Livraria dos Corações Solitários.

A Pequena Livraria dos Corações Solitários de Annie Darling

Esse é mais um livro dos que comprei pela capa. Sei que não se deve fazer isso, mas, como designer, é mais forte do que eu. Os tons suaves, as combinações de cores, dão uma ideia de leveza ao livro que traduz bem o tipo de história que encontramos nele. A Pequena Livraria dos Corações Solitários é como um bom filme de comédia romântica.

A pequena livraria dos corações solitários

Todos os elementos estão presentes: Posy Morland, a mocinha atrapalhada; Sebastian, o galã charmoso que não vale nada; os amigos da mocinha; o vilão; o toque sentimental; o drama; a perda; as reviravoltas e as confusões que uma falta de boa comunicação pode causar . Como os próprios personagens gostam de chamar, um verdadeiro Chick Lit, ou seja,”um gênero de ficção dentro da ficção feminina, que aborda as questões das mulheres modernas. Chick-Lits são romances leves, divertidos e charmosos, que são o retrato da mulher moderna, independente, culta e audaciosa”.

Posy Morland é uma jovem mulher que cresceu na livraria onde trabalha e onde seus pais trabalharam. É apaixonada por romances e sua vida é ler e fantasiar sobre histórias de amor mas sem nunca vive-las. Até aí, tudo bem, afinal cada um faz de sua vida o que achar melhor. Ela não estava infeliz assim. O negócio é que a dona da livraria, Lavínia, morreu e decidiu deixar a livraria para ela. O problema é que além da livraria estar praticamente falida, ela agora automaticamente viraria chefe de seus amigos.

Com a responsabilidade do emprego dos amigos nas costas, o medo de tudo dar errado e a possibilidade de perder não apenas a loja como sua própria casa (ela mora com o irmão no apartamento do andar de cima), Posy ainda precisa lidar com a presença indesejada e insistente de Sebastian, o neto da falecida Lavínia.

Sebastian é um cara lindo. Mas é ao mesmo tempo conhecido como o cara mais grosso de Londres. E faz jus à sua fama. O que tem de lindo ele tem de mala sem alça e não perde a oportunidade de perturbar Posy. Para ser sincera é justamente aí que me incomoda. Não pelo Sebastian, ele realmente é irritante. Mas pela Posy. Entendo que seja uma comédia romântica e tudo mais, mas o fato de ela ser tão atrapalhada e não conseguir reagir com ele que me incomodou bastante.

A pequena livraria dos corações solitários

Mas A Pequena Livraria dos Corações Solitários tem salvação. Posy passa um tempo fantasiando sobre Sebastian enquanto escreve um romance para extravasar a frustração que ele lhe causa. Os textos com toque cafona que ela escreve rende boas risadas. Quando Posy decide tomar as rédeas de sua vida, ela tem uma ideia bem bacana para tirar a livraria do buraco. E é claro que muitas coisas atrapalham esse percurso. Ainda que previsível, o plot twist é bem satisfatório, onde a autora resolve todas as pontas soltas e o que parecia ser uma coisa na verdade era outra.

Apesar de Posy ser completamente diferente se mim, em alguns pontos eu pude me identificar com ela. Cheguei a marcar alguns trechos onde ela fala dos pais e o que sua perda representa para ela.

A Pequena Livraria dos Corações Solitários  é uma leitura leve e divertida. Para pessoas que curtem romance como eu. Meu sonho era herdar uma livraria, seria fantástico. Então esse livro faz com que pessoas apaixonadas por livros como eu meio que se sintam em casa e sonhem não apenas em ter uma livraria como em também escrever mais e mais. No fim das contas vale a pena.

A Pequena Livraria dos Corações Solitários, publicado pela Verus Editora, com tradução de Cecília Camargo Bartalotti, é o primeiro livro da série A Livraria dos Corações Solitários. A série vai retratar a história de cada um dos funcionários da livraria que Posy herdou. Os amigos de Posy, um “alegre bando de desajustados” que por uma razão ou outra desistiram do amor e, ainda assim, o encontram quando menos esperam.

Outras resenhas de livros? Clique aqui 🙂