Lúcifer e outras coisinhas que ando assistindo na Netflix

Netflix é um tipo de universo paralelo que você se perde lá dentro uma vez que começa a navegar nas opções oferecidas. E como se não bastasse, a cada mês eles trazem mais novidades. Somando isso ao incrível atendimento ao público que eles fazem (basta ver o seu Facebook e a interação feita nos comentários), pronto, não tem como não amar.  O que gera um forte problema de procrastinação. Você pensa “só vou assistir mais esse episódio“, mas quando você percebe, já terminou uma temporada inteira. É como um bom jogo de videogame, você estipula que vai jogar somente uns 20 minutinhos. 3 horas depois você se da conta que deixou de fazer um monte de coisas. Fazer o que? Vício é vício, não é amores?

Vou contar pra vocês o que ando assistindo na Netflix, mas preciso avisar que tenho gostos peculiares…

Séries:

Lúcifer

Duas semanas atrás a Netflix trouxe essa série para o su catálogo. Já tinha tempo que eu tinha vontade de assistir. Havia visto uns trailers e alguns trechos divertidos e quando a netflix anunciou fiquei feliz da vida.

Netflix - Lúcifer

O Lúcifer da série simplesmente cansou de viver no inferno punindo almas e decidiu ir para Los Angeles viver a vida como um mortal (só que não). Um cara cheio da grana, playboy, dono de boate, festeiro, zoando geral e fazendo acordos por aí. É uma série divertida, sem dúvidas. Poderia melhorar em algumas coisinhas, mas eu curti bastante. É baseada em quadrinhos da DC comics.

Unbreakable Kimmy Schmidt

Se você ainda não conhece a Kimmy, não sabe o que está perdendo. Sério mesmo. Uma das séries mais loucas que já vi, onde uma piada é disparada atrás da outra a ponto de ficarmos até meio perdidos. Kimmy passou 15 anos da sua vida em um bunker e quando foi resgatada teve que se readaptar, e acaba passando pelas situações mais doidas. Tudo saiu da cabeça da comediante Tina Fey que faz algumas participações. A série conta com três temporadas já.

Um destaque para o maravilhoso Titus Andromedon que rouba a cena muitas e muitas vezes.

Anne With an E

Anne é uma garotinha ruiva muito peculiar. Orfã e maltratada desde muito pequena, depois de ter sido muito rejeitada é finalmente adotada, porém as coisas não saem exatamente como ela sonha. Muito sonhadora, aliás, ela usa a imaginação para fugir da dura realidade, mantendo assim seu coração puro e cheio de esperanças.

Netflix - Anne With an E

Às vezes a garotinha fala de mais, o que a faz parecer enfadonha algumas vezes, mas aos pouquinhos ela vai conquistando os corações de todos que a cercam. É uma graça, uma delícia de assistir.

Filmes:

Fome de Poder

Quer ficar com raiva da empresa McDonalds, veja esse filme de como um pequeno restaurante da rota 66 se tornou o maior franchising do mundo. Vale a pena, mas acredite, você vai ficar com raiva.

Walt Antes do Mickey

Uma outra história muito bacana de se ver é como a Disney foi criada. Os altos e baixos de Walt Disney, que passou até fome, mas persistiu e criou a empresa mais amada do mundo. Este é o oposto do McDonalds, ele tem valores fortes e bonitos. “Não há substituto para o trabalho duro.”

 

O Mínimo para Viver

Drama emocionante com Lily Collins no papel de Ellen, uma jovem mulher com anorexia, um distúrbio alimentar bastante sério, e Keanu Reeves no papel de médico que tenta ajuda-la a superar este problema. Me emocionei muito com o filme e acredito que ele mostre apenas 1/10 do que realmente a doença pode causar não apenas a quem está enfrentando-a como também a seus amigos e familiares. Muito tocante, vale a pena conferir. Para entender um pouco melhor a gravidade do assunto e, quem sabe, desenvolvermos um pouco mais de empatia uns para com os outros.

Animes:

One Punch Man 

One Punch Man é um cara que tem o soco mais poderoso do mundo. Meio deprimido, meio chateado, herói nas horas vagas, mas um verdadeiro pé rapado. O anime é um dos mais divertidos que eu já vi, mas tem que ser dublado, pois é muito mais engraçado assim.

Netflix - One Punch Man

 

Castlevania

O anime baseado no game homônimo tem episódios curtos e uma trama bem interessante. Curti bastante e já espero pela segunda temporada.

Eu assisto muita coisa, gente, sério mesmo. Estas são apenas algumas das coisas interessantes que achei na Netflix. E vocês? O que costumam assistir?
Tem dicas de outros filmes e outras séries aqui. 😉

Wynonna Earp – Uma mistura de velho oeste com Supernatural

Vocês já devem ter visto que no serviço de streaming mais querido do Brasil, a Netflix (“a” sim porque ela é menina!) tem uma série chamada Wynonna Earp. A série foi lançada mês passado, caso não tenha visto ela por lá, dá uma procurada que você vai achar.

Série Wynonna Earp

Comecei a assistir meio quando estava muito de bobeira para ver se era boa, ou se era tão ruim quanto Van Helsing (descula Vanessa Helsign, mas pra mim não rolou, talvez eu tente de novo depois). E não é que eu gostei? Gostei bastante até!

Não vou dizer que a série é perfeita, porém vem pra divertir e dá conta do recado direitinho.

Quem é Wynonna Earp?

Wynonna Earp é a bisneta do lendário xerife Wyatt Earp. A personagem é fictícia criada para os quadrinhos (HQs de Beau Smith), porém Wyatt Earp existiu de verdade.

Série Wynonna Earp

Wyatt Earp é mais conhecido como um temido xerife do velho oeste que trabalhou nas cidades de Wichita e Dodge City, no Kansas, e em Tombstone, Arizona, onde sobreviveu ao tiroteio do Curral OK  junto com Doc Holliday (presta atenção nesse nome). Esse tiroteio é um dos mais famosos do velho oeste. Wyatt Eartp era famoso por sua célebre frase: “Eu sou a lei e isso acaba aqui”.

Na série da emissora Syfy , Wynonna é uma jovem mulher moderna que, devido à morte de um tio, está voltando para sua cidade natal chamada Purgatório. Até aí tudo bem. Se não fosse o fato de que, por estar completando 27 anos, a herdeira mais velha dos Earp ativa a maldição de sua família.

A maldição consiste basicamente no retorno de todos os bandidos executados pelo bisavô de Wynonna Earp retornam ao mundo dos vivos a cada 27 anos como demônios. E o dever do herdeiro Earp é caçá-los e mandá-los de volta para o inferno.

A Wynonna vivida por Melanie Scrofano é sarcástica, independente, não perde tempo com “mimimis” e está longe de ser frágil. É ela que tem também as tiradas mais engraçadas da série. Gosto da personalidade dela. Mesmo nos piores momentos ela encontra uma força sabe Deus lá de onde e dá a volta por cima. Quero ser igual à ela quando crescer.

Mesmo se sentindo atraída por Doc Holliday (Tim Rozon) e pelo  Agente Dolls (Shamier Anderson) ao mesmo tempo, romance está longe de ser uma de suas preocupações. Ela não está interessada em se firmar com ninguém, tem objetivos maiores que esses. Mas lógico que se diverte quando pode. E sim, Doc Holliday é o mesmo do tempo do seu bisavô.

Série Wynonna Earp
Wynonna e Agente Dolls
Série Wynonna Earp
Wynonna e Doc
Série Wynonna Earp
Wynonna entre seus dois amores: Doc Holliday e Agente Dolls
“Make your peace”

Para poder mandar esses demônios de volta para o lugar de onde vieram, Wynonna precisa contar com a ajuda da Peace Maker, a pistola que herdou de seu bisavô. A frase escolhida pela heroína – com um passado super conturbado, o qual ela luta para superar e, obviamente, os demônios tentarão tirar vantagem disso – é “Make your peace”, bordão que ela usa toda vez que vai dar um tiro na testa de um demônio.

Série Wynonna Earp
“Make your peace”

Os demônios voltam imediatamente para o inferno. Nesse momento o chão se abre, e é até engraçado de ver. Talvez eles devessem trabalhar melhor nos efeitos especiais desses momentos, mas isso foi realmente a única coisa que me incomodou na série.

Mal comparando, podemos fazer uma correlação com a série Supernatural (que eu amo, aliás), por sua pegada cômica e temática sobrenatural. Porém, ao invés de dois irmão como caçadores de demônios, temos duas irmãs: Wynonna e sua irmã mais nova nerdzinha Waverly (vivida por Dominique Provost-Chalkley). Apesar de Waverly ajudar a irmã, a personagem tem um arco totalmente seu, à parte.

Série Wynonna Earp
Dolls, Wynonna e Waverly tentando desvendar um caso.

Todos os personagens apresentam um certo mistério. É legal ir descobrindo aos poucos quem é quem e o porque de estarem fazendo o que estão fazendo. Eu acabei gostando bastante da série que me surpreendeu em vários aspectos. Ah, e o que não falta é representatividade. Estou ansiosa pela segunda temporada que já foi confirmada. Gostei também do figurino da série. Cada personagem tem estilo diferente que condir perfeitamente com sua personalidade. Eu adorei especialmente o estilo de Wynonna com o qual me identifico muitas vezes.  Quem me segue no instagram sabe que eu adoro uma jaqueta e curto um rock n’ roll (sem deixar de ser feminina, claro ;))

Se você gosta dessa temática, dê uma chance a série. Você vai, no mínimo, se divertir. 🙂

Deixo vocês com o trailer da primeira temporada e com a música do tema de abertura.

Tá sem ter o que fazer no final de semana? Essa é uma dica. Tem mais dicas de filmes e séries aqui.

Todas as fotos são do site da série 😉

Girlboss – série de comédia da Netflix sobre a trajetória de Sophia Amoruso, a fundadora da loja Nasty Gal

A nova série da Netflix  Girlboss conta a história da marca Nasty Gal. Mais especificamente mostra de uma maneira bastante floreada a trajetória de Sophia Amoruso de jovem desajustada e pobre até se tornar uma milionária empresária. Começou em 2006 vendendo no Ebay roupas que encontrava em brechós (roupas vintage), e, transformou em um negócio que lhe rendeu 100 milhões de dólares. A empresa chegou a ter mais de 350 funcionários vendendo roupas cool, novas e usadas, para milhões de mulheres ao redor do mundo.

Girlboss

Em novembro de 2016, a Nasty Gal declarou falência, o que não significa que deixou de existir, mas está passando por algumas reestruturações.

Girlboss

Ao ler a respeito da série, descobri que a ideia era trazer a história de Sophia em forma de comédia, sendo a protagonista vivida por Britt Robertson – que aliás está muito bem no papel – uma espécie de anti-heroína.

Girlboss

Girlboss

Uma coisa é certa, a fundadora da loja Nasty Gal é retratada por alguém autoconfiante, determinada e independente. Porém, Sophia não sabe valorizar as amizades. Não sabe valorizar as pessoas a sua volta. Seu egoísmo afasta as pessoas diversas vezes durante a trama. É grosseira e autocentrada, para ela o mundo gira ao seu redor. E não demonstra ver problemas em roubar coisas.

Não é exatamente a pessoa mais adorável do mundo, mas sabendo filtrar dá para admirar alguns aspectos da personalidade da empresária, como a determinação e a coragem para fazer as coisas como lhe dá na telha, e a força para lutar pelo que acredita mesmo quando a maioria das pessoas a veem apenas como uma garotinha.

Em contrapartida, sua melhor amiga Annie interpretada por Ellie Reed, é aquele tipo de amiga que toda garota gostaria de ter. Divertida, tem excelentes tiradas, e está sempre dando apoio à amiga. A atriz é ótima e tem as reações mais divertidas. Merece destaque.

Girlboss
Sophie e Annie

 

Girlboss

Outro que merece destaque é RuPaul que participa da série no papel do segurança de aeroporto Lionel, um vizinho de Sophia que também tem ótimas tiradas e dá uns conselhos à garota desbocada de vez em quando. E numa boa, quem é que não adora o RuPaul né? =)

Girlboss RuPaul

Trilha sonora  de Girlboss  é  bem bacaninha

A primeira coisa que me chamou a atenção quando dei play no primeiro episódio foi a trilha sonora. Ela dá um tom alegre e divertido à série, que nos deixa animados a continuar assistindo. Dá para maratonar numa boa.

A trilha é bastante eclética, trazendo algumas musicas antigas, bem old school, que continuam icônicas até os dias de hoje, bem como vários diferentes gêneros incluindo rock, rap e soul clássico.

As músicas certamente combinam com a personalidade da protagonista, a “selvagem” Sophia. Eis algumas das músicas:

Wild One” – Jerry Lee Lewis
Rebel Girl” –  Bikini Kill
I’ve Got Dreams to Remember” – Otis Redding
Get It Poppin” – Fat Joe ft.
Nasty Gal” – Betty Davis
Teenage Dirtbag” –  Wheatus
I’ll Come Crashing” – A Giant Dog

Figurino de Girlboss

A série não deixa de ser uma série sobre moda. Moda vintage pra ser mais exata. A protagonista tem esse look super cool meio setentista / oitentista e veste jaquetas “bad ass” ou moletons confortáveis. Às vezes a gente até esquece que a história começa em 2006.  O fato é que a garota tem mesmo um bom faro para achar peças lindas de outras décadas e transformar em algo super cool de se usar nos dias de hoje.  Quem curte moda, vai gostar.

Girlboss

 

A série que estreiou ontem dia 21/04  é produção original da Netflix e tem como produtores executivos Kay Cannon, Charlize Theron, Beth Kono, Laverne McKinnon e Sophia Amoruso.

Vale a pena assistir!

Tem trailer? Tem trailer!

 

Falando em série que vale a pena assistir, já deu uma olhada no post sobre Outlander que eu fiz? E Westworld, já assistiu? Fica a dica! 😉