Food Design – quando a gastronomia se torna obra de arte

Vocês já devem ter visto circulando pelo facebook algumas tortas e doces com formatos incrivelmente belos e diferentes. Verdadeiras esculturas açucaradas. A chef ucraniana Dinara Kasko eleva a confeitaria a outro patamar.  Apesar de food design não ser apenas sobre a beleza dos alimentos, estas tortas são de comer com os olhos.

food design

Em colaboração com o artista de Miami, José Margulis, Kasko desenvolveu bolos e doces esculturais. Suas formas geométricas e abstratas foram criadas a partir de modelos 3D. Enquanto as esculturas de José Margulis são feitas em plástico, alumínio e acrílico, as tortas de Dinara Kasko são feitas de chocolate.

food design

Tentei transformar suas criações, feitas de plástico, alumínio e acrílico, em algo comestível, usando técnicas básicas e ingredientes. No entanto, queria preservar sua mensagem e sentir. Tinha que ser uma instalação de desempenho onde a arte foi criada por José Margulis e depois transformada por mim em uma arte comestível que seria consumida mais tarde – desaparecer assim. Eu estava transformando o objeto da arte em algo comestível que mais tarde pereceria, enfatizando a arte efêmera, a sua fugacidade em nossa vida.

 

O processo de confecção das tortas envolvem máquinas e ferramentas de corte, tais quais as usadas para as esculturas.

food design

É interessante notar que, dependendo do ângulo que você olha para as esculturas, a nossa percepção das formas e cores mudam de acordo com a incidência de luz sobre os objetos / bolos. É simplesmente fascinante. Cada objeto, cada torta, cada doce que Dinara projeta, é por si só uma narrativa, bem como as esculturas de José. Tem muito a ver com a experiência sensorial acima de tudo.

food design

Vale lembrar que food design não engloba apenas a estética dos alimentos, se assim fosse estaríamos falando apenas de styling. É muito mais profundo do que isso. Food design é também sobre propor soluções alimentares eficazes num contexto no qual o produto seja funcional ao tipo de ambiente de consumo, e, sobretudo, às exigências das pessoas em diversos momentos e situações. Atualmente, na Europa, a comida industrializada é projetada por food designers.

Tem vários outros videos bacanas de outras tortas feitas por ela, usando projeção e impressoras 3D para criar formas de silicone com formatos específicos resultando em outras formas geométricas super bacanas.

E você? Teria coragem de comer essas obras de arte?

As fotos foram retiradas todas do site da chef. Vale a pena visitar o site dela para ver outras coisas lindas que ela faz. 😉

DarkSide Books – livros com design caprichado

Quando os e-books começaram a ser difundidos, houve aquele papo de que isso seria o fim dos livros impressos. Claro que a forma como lemos mudou. Muito do que lemos a gente consegue na internet. Houve (e ainda há) uma crise no mercado editorial, porém, para muitos o objeto livro é algo que nunca vai morrer.  Pois nada substitui o prazer de pegar um livro novinho e folhear suas páginas. E uma das editoras que têm conquistado pelo design de seus livros é a DarkSide Books. Já ouviram falar?

darkside

Estava eu visitando minha livraria favorita quando dei de cara com alguns livros bem diferentes dos que vemos normalmente. Com capa dura e desenhos peculiares nas capas, além do fato de alguns deles têm a laterais das páginas coloridas. Definitivamente o que me chamou a atenção foi o seu design.

Na Darkside®, nós investimos em livros. Especialmente, livros de terror e fantasia. Fazemos questão de publicar as histórias que amamos. Algumas viraram filmes, games ou lendas urbanas, mas todas reservam experiências únicas em suas páginas.Os formatos também são múltiplos: Papel. Digital. Free-books. Edições numeradas de colecionador. Seguindo o padrão quase psicopata de qualidade, cada livro Darkside tem que ser precioso no texto, na capa e no design. Então leia, releia, baixe, divulgue, colecione. No que depender de todos nós, Darksiders, o livro vai continuar mais vivo do que nunca.
Darkside® Books. Book is not dead.

A premissa da editora é incrível né? Só quem tem amor pelos livros consegue entender a importância disso.

darkside

Fundada em 2012, a DarkSide Books, como o nome já sugere, é uma editora voltada para o lado sombrio, ou seja, são livros em sua maioria de terror, suspense, magia e fantasia.  A editora tem cinco linhas principais. Uma toda voltada para mangás;  uma chamada Crimescene voltada para livros de investigação de histórias e assassinos reais; a Cinebook de livros que já se tornaram filme ou filmes que se tornaram livros; e a Darklove, romances escritos por mulheres com uma pegada dark.

darkside

Ainda não havia adquirido nenhum livro da editora, porém, aproveitei as promoções que a amazon fez no último book friday e pedi dois exemplares. Eles chegaram hoje e estou feliz da vida. =)

Um deles é o Wytches, um graphic novel de Scott Snyder e arte de Jock.

darkside
Wytches

 

O Outro é o volume 1 das Crônicas de Amor e Ódio, The Kiss of Deception de Mary R. Pearson.

darkside
The Kiss of Deception
darkside
The Kiss of Deception e seu mapa / poster

 

Vocês já leram algum livro publicado pela Darkside? O que acharam?

Falando em leitura, tem algumas resenhas literárias aqui.

BioCouture – E se os tecidos das roupas fossem feitos de micro organismos vivos?

Não, não estou falando em se fantasiar de yakult. Estou falando da BioCouture, uma empresa britânica, baseada em Londres que desenvolve tecidos cultivados a partir de micro-organismos vivos.

BioCouture

Basicamente o que a BioCouture faz é usar uma mistura simbiótica de levedura e bactérias. Em uma espécie de banheira, com  fermento, uma pitada de bactérias e várias xícaras de chá verde e açúcar. As fibras começam a brotar e se propagam, resultando em folhas finas e úmidas de celulose bacteriana que podem ser moldadas em uma forma de vestido.

Suzanne Lee, que foi pesquisadora da Escola de Moda e Têxteis do Central Saint Martins, é o cérebro por trás deste experimento da BioCouture. Ela diz que seu método de fermentação e cultura dos tecidos resulta em uma espécie de “couro vegetal“.

BioCouture

À medida que as folhas secam, as bordas sobrepostas “sentiam” juntas para se tornar costuras fundidas. Quando toda a umidade se evapora, as fibras desenvolvem uma superfície que se assemelha a um de tipo papiro, que pode ser branqueada ou tingida com corantes de frutas e vegetais, como açafrão, índigo e beterraba.

BioCouture

A vantagem de roupas feitas assim, é que não apenas são biodegradáveis, como também servem de adubo. Depois de usar, você pode jogar fora as roupas, ou colocar na terra. Sabe, como algumas pessoas que cultivam plantas fazem ao colocar cascas de frutas e verduras na terra? Tipo isso. Sustentabilidade total!

Dá só uma olhada nesse vídeo em que Suzanne Lee explica como o processo de cultivação dos tecidos acontece (caso você não compreenda inglês, tem como ativar a legenda em português):

Não é muito incrível essa tecnologia? Para mim, a primeira impressão foi de estranheza total e até um certo “nojinho“. E vocês o que acham dessa ideia de roupas e sapatos feitos a partir de bactérias? Muita loucura? Ou “Ok, este é o futuro“?

Deixe sua opinião nos comentários!

Ah, e para mais matérias sobre moda e design, clique aqui. 😉