Wynonna Earp – Uma mistura de velho oeste com Supernatural

Vocês já devem ter visto que no serviço de streaming mais querido do Brasil, a Netflix (“a” sim porque ela é menina!) tem uma série chamada Wynonna Earp. A série foi lançada mês passado, caso não tenha visto ela por lá, dá uma procurada que você vai achar.

Série Wynonna Earp

Comecei a assistir meio quando estava muito de bobeira para ver se era boa, ou se era tão ruim quanto Van Helsing (descula Vanessa Helsign, mas pra mim não rolou, talvez eu tente de novo depois). E não é que eu gostei? Gostei bastante até!

Não vou dizer que a série é perfeita, porém vem pra divertir e dá conta do recado direitinho.

Quem é Wynonna Earp?

Wynonna Earp é a bisneta do lendário xerife Wyatt Earp. A personagem é fictícia criada para os quadrinhos (HQs de Beau Smith), porém Wyatt Earp existiu de verdade.

Série Wynonna Earp

Wyatt Earp é mais conhecido como um temido xerife do velho oeste que trabalhou nas cidades de Wichita e Dodge City, no Kansas, e em Tombstone, Arizona, onde sobreviveu ao tiroteio do Curral OK  junto com Doc Holliday (presta atenção nesse nome). Esse tiroteio é um dos mais famosos do velho oeste. Wyatt Eartp era famoso por sua célebre frase: “Eu sou a lei e isso acaba aqui”.

Na série da emissora Syfy , Wynonna é uma jovem mulher moderna que, devido à morte de um tio, está voltando para sua cidade natal chamada Purgatório. Até aí tudo bem. Se não fosse o fato de que, por estar completando 27 anos, a herdeira mais velha dos Earp ativa a maldição de sua família.

A maldição consiste basicamente no retorno de todos os bandidos executados pelo bisavô de Wynonna Earp retornam ao mundo dos vivos a cada 27 anos como demônios. E o dever do herdeiro Earp é caçá-los e mandá-los de volta para o inferno.

A Wynonna vivida por Melanie Scrofano é sarcástica, independente, não perde tempo com “mimimis” e está longe de ser frágil. É ela que tem também as tiradas mais engraçadas da série. Gosto da personalidade dela. Mesmo nos piores momentos ela encontra uma força sabe Deus lá de onde e dá a volta por cima. Quero ser igual à ela quando crescer.

Mesmo se sentindo atraída por Doc Holliday (Tim Rozon) e pelo  Agente Dolls (Shamier Anderson) ao mesmo tempo, romance está longe de ser uma de suas preocupações. Ela não está interessada em se firmar com ninguém, tem objetivos maiores que esses. Mas lógico que se diverte quando pode. E sim, Doc Holliday é o mesmo do tempo do seu bisavô.

Série Wynonna Earp
Wynonna e Agente Dolls
Série Wynonna Earp
Wynonna e Doc
Série Wynonna Earp
Wynonna entre seus dois amores: Doc Holliday e Agente Dolls
“Make your peace”

Para poder mandar esses demônios de volta para o lugar de onde vieram, Wynonna precisa contar com a ajuda da Peace Maker, a pistola que herdou de seu bisavô. A frase escolhida pela heroína – com um passado super conturbado, o qual ela luta para superar e, obviamente, os demônios tentarão tirar vantagem disso – é “Make your peace”, bordão que ela usa toda vez que vai dar um tiro na testa de um demônio.

Série Wynonna Earp
“Make your peace”

Os demônios voltam imediatamente para o inferno. Nesse momento o chão se abre, e é até engraçado de ver. Talvez eles devessem trabalhar melhor nos efeitos especiais desses momentos, mas isso foi realmente a única coisa que me incomodou na série.

Mal comparando, podemos fazer uma correlação com a série Supernatural (que eu amo, aliás), por sua pegada cômica e temática sobrenatural. Porém, ao invés de dois irmão como caçadores de demônios, temos duas irmãs: Wynonna e sua irmã mais nova nerdzinha Waverly (vivida por Dominique Provost-Chalkley). Apesar de Waverly ajudar a irmã, a personagem tem um arco totalmente seu, à parte.

Série Wynonna Earp
Dolls, Wynonna e Waverly tentando desvendar um caso.

Todos os personagens apresentam um certo mistério. É legal ir descobrindo aos poucos quem é quem e o porque de estarem fazendo o que estão fazendo. Eu acabei gostando bastante da série que me surpreendeu em vários aspectos. Ah, e o que não falta é representatividade. Estou ansiosa pela segunda temporada que já foi confirmada. Gostei também do figurino da série. Cada personagem tem estilo diferente que condir perfeitamente com sua personalidade. Eu adorei especialmente o estilo de Wynonna com o qual me identifico muitas vezes.  Quem me segue no instagram sabe que eu adoro uma jaqueta e curto um rock n’ roll (sem deixar de ser feminina, claro ;))

Se você gosta dessa temática, dê uma chance a série. Você vai, no mínimo, se divertir. 🙂

Deixo vocês com o trailer da primeira temporada e com a música do tema de abertura.

Tá sem ter o que fazer no final de semana? Essa é uma dica. Tem mais dicas de filmes e séries aqui.

Todas as fotos são do site da série 😉

Outlander – a 3ª temporada de série está chegando e ganhou teaser!

A 3ª temporada de Outlander está chegando e foi divulgado o primeiro teaser!

Outlander

Para quem não conhece, Outlander conta a história de uma mulher inglesa chamada Claire (Caitriona Balfe) da década de 40, que, viveu os horrores da Segunda Guerra Mundial trabalhando como enfermeira nos campos de guerra, enquanto seu marido Frank Randall (Tobias Menzies ) servia o exército. Sobreviventes desse horror, eles decidem reatar o casamento e saem em viagem de segunda lua de mel pela Escócia onde o improvável acontece. Claire inexplicavelmente desaparece, viajando no tempo, sendo enviada para o ano de 1743. E ao acordar nesse ano em que tudo era diferente e com muito menos recursos, que sua vida muda completamente e ela corre vários perigos.

 

Se você ainda não assistiu e não gosta de spoiler, vai lá na Netflix, ou na Fox Play, ver pelo menos a primeira temporada e depois volta aqui. 😉

Outlander - Jamie Fraser
– Depois não diga que não avisei!

 

Pessoas desconfiam que ela seja uma espiã e a aprisionam, outros tentam matá-la, ela quase é violentada… Como tem conhecimentos medicinais e começa a se virar muito bem com as ervas locais para criar remédios é até chamada de bruxa. Em meio à grande confusão que sua vida se torna, ela acaba conhecendo Jamie (Sam Heughan), um escocês que se apaixona por ela. Ela, por sua vez, deseja voltar para o seu ano de origem e para o seu marido, e tenta resistir à Jamie. O problema é que o escocês é bem difícil de se resistir e ela acaba se apaixonando também.

outlander

As reviravoltas são muitas e um antepassado do marido dela é alguém revoltante e asqueroso. Sério, esse cara vai te deixar enojado. Ele é a encarnação do mal. Sabe o Negan de The Walking Dead? Perto do Black Jack Randall (Tobias Menzies ) ele é um docinho de coco. Aliás esse ator dá um show de interpretação. Ele faz o papel do marido da Claire Frank em 1945, que é um cara super fofo e atencioso. Já como o antepassado ele é perturbado e cruel, assustador mesmo.

 

Outlander
Sério, olha a cara desse psico!

 

Contexto histórico de Outlander e seu figurino deslumbrante!

Uma das coisas que mais me encantam é todo o cenário histórico mostrado na série, onde vai se desenrolando esse romance. As guerras daquela região, envolvendo não somente Inglaterra e Escócia, como também a França como vemos na segunda temporada.

Queria dar um destaque especial ao figurino. Pois não tem como fazer uma produção histórica sem mostrar também a história da moda e o contexto da época. Vemos Claire na década de 1940 com um figurino e penteados típicos do pós-guerra. Depois vemos a transição para um figurino escocês de 1743, primeiro roupas mais simples de camponesa, depois roupas um pouco mais elaboradas como senhora escocesa e depois, ao chegar na França, passa a fazer parte da elite francesa e o figurino condiz com sua posição. É deslumbrante. às vezes ela até ousa bastante nos seus trajes dando um toque de modernidade à coisa toda. Lindo de se ver.

Outlander
Claire em lua de mel com Frank na Escócia – década de 40
Outlander
Claire na Escócia de 1743

Claire na França

Vale lembrar que é uma série que tem muitas cenas de sexo. Até achei que era da HBO de tanta cena desse tipo. Então, se não quiser ficar constrangido como quando assistiu Game of Thrones com sua avó na sala, fica a dica. =D

A série é baseadas nos livros homônimos da autora Diana Gabaldon. Ainda não os li, mas estão na minha lista!

O romance épico entre Claire e Jamie vai ganhar novos episódios para a felicidade dos fãs. Ainda não tem data, mas a nova temporada é esperada para setembro deste ano. Enquanto isso, eis o teaser para saciar (ou seria provocar?) a vontade de Outlander.

Quer outras sugestões de filmes e séries? Dá uma olhada aqui. Inclusive, se eu fosse você iria ao cinemas assistir A Cabana! Já até quero assistir de novo!

Todas as fotos são do site oficial da série que você pode acessar aqui.

Logan – como é difícil se despedir do Wolverine de Hugh Jackman

Assisti ao filme Logan no último domingo e preciso falar pra vocês como estou me sentindo órfã pelo fato de Hugh Jackman não ser mais o Wolverine.

Logan

Que é um filmaço, todo mundo sabe, todo muito já está falando. E numa boa, não quero ser mainstream nunca, mas é a pura verdade.  Logan é, sem dúvidas, uma despedida linda e bastante digna ao Wolverine de Hugh Jackman.

Confesso que fui ao cinema com um misto de emoções. Estava animada para ver o filme e ao mesmo tempo com o coração apertado por ser o último de Hugh Jackman no papel. Mas ao mesmo tempo eu tinha esperanças de que não seria bem assim.

Logan não é apenas um filme de super heróis. Os elementos estão lá, mas aparecem de maneira muito mais discreta do que qualquer filme do mutante. E os poderes mutantes, por mais que façam parte da história, não são absolutamente o foco. é muito mais profundo do que isto. O foco é Wolverine, seus sentimentos em relação à própria existência e o desenvolvimento de seu relacionamento com um muito idoso Professor Xavier e a pequena Laura/X-23.

Wolverine

Hugh Jackman em várias entrevistas falou de como esse filme era importante pra ele. Contou em como teve a ideia do filme no meio da madrugada e teve que gravar a ideia em uma mensagem de voz no celular para depois poder começar a desenvolver o projeto. Ele estava decidido a sair da franquia dos X-Men e queria fazer isso em grande estilo. E conseguiu. Ele interpreta um Wolverine muito mais vulnerável, cheio de cicatrizes, mascado pelo tempo e cansado de tantas batalhas. Mas ao mesmo tempo ele não demonstra essa vulnerabilidade, e sim a força que o move a cada passo. Sua violência não é gratuita, é pensada, e Hugh emociona com sua interpretação.

Logan - Patrick Stewart como Professor Xavier

Patrick Stewart, nosso querido Professor Charles Xavier, está brilhante no papel de um senhor de 90 anos de idade (ele, na verdade, tem 76), com o corpo fragilizado, mais desbocado como pessoas de uma certa idade se permitem ser, e uma mente ao mesmo tempo extremamente poderosa e doente. Patrick afirma também ser esse o seu último filme na pele de Charles Xavier, mas parece que já está voltando atrás. Graças a Deus. 😉

Logan - Dafne Keen como Laura / X-23

E o que é a pequena Dafne Keen? A garota é, simplesmente, espetacular! Com 11 anos de idade a atriz espanhola dá um show de interpretação e já mostra a que veio. Seus olhares são extremamente expressivos e traduzem a agressividade e selvageria da personagem X-23 no início de sua vida. Quem conhece os quadrinhos sabe que ela foi criada em laboratório a partir do material genético do Wolverine. Isso é spoiler?  Bom, o fato é que já virei fã da menina, o que consola um pouco o coração, já que com a saída de Wolverine da franquia, X-23 interpretada por Dafne é um excelente e talentoso legado.

O que o filme promete, ele entrega com primazia. Para quem acha que filmes de super-heróis / quadrinhos são apenas coisa de criança, ou diversãozinha boba, definitivamente precisa ver esse filme. Vai entender que personagens como Logan são muito mais complexos e ricos do que se pode imaginar. Quem já é fã de quadrinhos, vai sair do filme satisfeito.

E talvez um pouco órfão.

#VoltaHugh!

Bom, brincadeiras à parte, só temos a agradecer a Hugh Jackman pelos seus 17 anos como Wolverine. Mas não vou negar que eu gostaria que ele não saísse do papel nem tão cedo… poderia arrendondar pra 20 anos… ou quem sabe 30, sei lá. 🙂

Corre pro cinema! Vale a pena!


O trailler é de arrepiar, fala sério! E a fotografia? De fazer o bonequinho aplaudir de pé! 🙂