Curiosidades sobre Gal Gadot, a Mulher Maravilha

Quando você sabe que um ícone da sua infância como a Mulher Maravilha ganhar vida pela primeira vez nos cinemas sua expectativa vai às alturas. O medo de se decepcionar (como eu me decepcionei com a Vampira dos filmes dos X-Men) é grande. Porém, Gal Gadot e Patty Jenkins nos trouxe a Mulher Maravilha que sempre sonhamos e esperamos. E como era de se esperar, virei das duas. Quando você finalmente vê esse sonho se tornando realidade e seu ícone ganhando vida nas telonas não há como não se emocionar.

Assim sendo, estive pesquisando sobre a atriz e resolvi trazer algumas curiosidades sobre Gal Gadot, a mais que perfeita Wonder Woman e, na vida real, ela arrasa também!

Quem é Gal Gadot?

Gal Gadot é uma atriz e modelo israelense como a maioria de vocês já deve saber. Ela tem 32 anos (nasceu em 1985), é casada com o empresário Yaron Versano há 9 anos com quem tem duas filhinhas Alma e Maya. Alma tem 5 aninhos e Maya é um bebê de três meses.

Curiosa sobre ela, passei a segui-la no instagram, e do que vi até agora, ela é uma mulher alegre, amorosa, mãe carinhosa, bem-humorada, e super do bem. Ela, o marido e as filhas vivem em Tel Aviv e Gal Gadot se orgulha da família linda que tem. Gosta e dá valor às pequenas coisas da vida, e é linda até na simplicidade dela.


“Noite sem dormir, bebê de 3 meses com cólicas e acordada cedo pela mnha filha de 5 anos. Fui para o jardim tomar um pouco de ar puro com meu café para me ajudar a acordar e agora assistindo The Cat in The Hat com minha filha. Sempre me impressiona como as coisas mais simples são as que nos fazem mais feliz. Foto tirada pela minha outra sonolenta metade @jaronvarsano”

Exército Israelense e carreira de modelo

Em 2004, aos 18 anos, Gal Gadot conquistou o título de Miss Israel, chegando a concorrer ao Miss Universo. Ela trabalhou para marcas como Gucci e foi capa de várias revistas como a Cosmopolitan, Glamour, Entertainment Weekly, dentre outras. Além de se tornar a modelo principal da marca de roupas Castro de 2008 a 2016.

Servir o exército em Israel é obrigatório para homens e mulheres. Por isso, aos 20 anos, a atriz deu uma pausa na carreira de modelo e serviu durante dois anos como soldado nas Forças de Defesa de Israel. Sobre esse tempo servindo o exército israelense, Gal afirma que aprendeu sobre disciplina e respeito.

Gal Gadot

Velozes e Furiosos

Depois de dois anos de serviço militar, Gal Gadot começou seus estudos em Direito. Depois de completar 1 ano na escola de direito ela foi chamada para um teste para o papel de Bond Girl no filme Quantum of Solance. Ela não conseguiu o papel, mas o mesmo diretor a chamou para o papel de Gisele em Velozes e Furiosos 5.  Gal Gadot é tão bad ass que neste filme ela dispensou os dublês fazendo ela mesma as cenas de ação.

Gal Gadot

Depois de fazer alguns outros papéis menores em comédias de ação, ela voltou a interpretar Gisele em Velozes e Furiosos 6 em 2013. Depois disso, quando foi chamada para interpretar a Mulher Maravilha passou muito tempo treinando coreografias de luta, equitação e musculação. Ela chegou a afirmar em entrevistas que seus treinos foram mais intensos do que quando esteve no exército.

Sereia

E não é que ela canta também? Há alguns dias foi divulgado um vídeo do YouTube em que Gadot aparece cantando em sua língua de origem, o hebraico, durante uma apresentação especial.  Não se sabe ao certo se foi em 2008 ou 2009, mas o importante é que Gal está vestida de sereia e canta para arrecadar dinheiro para instituições carentes.


Fofa, né, gente?

 

Grávida durante as filmagens do filme Mulher Maravilha?

Na verdade, Gal Gadot estava grávida de 5 meses quando fez as refilmagens de Mulher Maravilha. Sabe quando estão com o filme quase pronto e aí tem que refilmar algumas cenas que não ficaram tão legais? Pois é, foi assim que aconteceu. Ela estava barrigudinha então utilizaram, apenas na barriga de Gal, um tecido verde que depois seriam colocados os efeitos visuais para esconder a gravidez. Afinal Diana Prince não poderia aparecer grávida, não é?

Gal Gadot - Mulher Maravilha

Gal Gadot - Mulher Maravilha

O fato é que nessas refilmagens, mesmo grávida, ele enfrentou frio e chuva fazendo tudo que a diretora pedia sem jamais reclamar, incluindo cenas de batalhas! Sim, ela é maravilhosa. E seu temperamento tem tudo a ver com a Mulher Maravilha que crescemos admirando. Impossível não virar fã. Fora que ela é linda né? Ainda quero descobrir a rotina de beleza dela e a maquiagem que ela usa pra vir contar pra vocês! 🙂

Já assistiu o filme? Não? Olha só o que achei do filme aqui neste post e depois vá correndo para o cinema!

Gal Gadot - Mulher Maravilha

 

Baywatch, S.O.S Malibu – Crítica do filme

Fui assistir ao filme Baywatch à convite da Agência TC, Vizcaya e Paramont e já posso adiantar que me diverti horrores.

Baywatch

A série Baywatch foi ao ar no início da minha adolescência. Aqui no Brasil era chamada de S.O.S. Malibu. Não cheguei a assistir tanto, afinal tinha que conseguir pegar quando estivesse passando na TV, mas eu lembro direitinho como era. O para sempre canastrão David Hasselhoff fazendo papel de bonito, e a gostosona Pamela Anderson correndo em câmera lenta nas areias da praia. Os meninos adoravam né, ver os peitões dela balançando na tela. Ah os anos 90… vergonhosos… hahahahha

 

Baywatch
David Hasselhoff, Pamela Anderson e a equipe de salva-vidas da série Baywatch nos anos 90

O filme tem uma pegada de comédia total. David Hasselhoff – o rei da cultura pop atualmente com sua participação hilária em Guardiões da Galáxia – não apenas estrelava a série como foi o produtor dela, faz uma participação neste filme também, assim como Pamela Anderson dá o ar da graça. O que acho divertido no David é a sua capacidade se zoar a si mesmo. Sempre ganha pontos assim.

Digo isso porque o Baywatch não leva nada a sério o antigo seriado dos anos 90. É recheado de piadas sobre a série, além disso, referências e esteriótipos estão todos lá: Tem o galãzinho meio cheio de si, mas que eventualmente vai se redimir; tem o gordinho especialista em informática, desengonçado, mas que quer se tornar herói e conquistar a gostosa; tem a gostosona que corre em câmera lenta balançando os peitos que deixa todos babando; tem a gatinha inteligente; tem o chefe dessa galerinha; tem a super vilã e por aí vai.

Baywatch

Baywatch é divertido sem sombra de dúvidas. É uma daquelas comédias bem americanas mesmo, de humor bobo e fácil. Nem um pouco politicamente correta. Às vezes o humor é apelativo com piadas explícitas sobre pintos e peitos. Definitivamente não é um filme para a família. (Quer um filme família bom à beça? Assista Piratas do Caribe: Vingança de Salazar) Mas é um filme que vai divertir.

Eu ria de gargalhar no cinema. São muitas piadas, uma atrás das outra, porém com várias cenas de ação ali misturadas no meio. Tem piadas sobre todos os esteriótipos, então a geração do mimimi pode sair do cinema torcendo o nariz.

Baywatch

Se for pra ir assistir vá de mente aberta com o simples intuito de se divertir. Sem problematizar muito (como diria Thaís Araujo), simplesmente assista e ria de si mesmo se for o caso.  A problematização por causa de machismo, racismo e todos os “ismos” está muito forte ultimamente e precisamos dar uma respirada. Rir de absolutamente tudo, para desanuviar a mente por 2 horinhas, para depois voltarmos, talvez, um pouco mais leves para os problemas do dia a dia. Já avisei, mas não custa repetir: é uma comédia que não se preocupa com o politicamente correto e faz piada dos esteriótipos.

Baywatch

Baywatch conta com Dwayne Johnson no papel de Mitch Buchannon, Zac Efron como Matt Brody, Priyanka Chopra como a super vilã Victoria Leeds, Alexandra Daddario como Summer, Jon Bass como Ronnie, Kelly Rohrbach como C.J. e Ilfenesh Hadera como Stephanie. O filme estreia dia 15 de junho nos cinemas. Estreia bem no feriado, olha que coisa boa, dá pra assistir e relaxar. 😉

 

Mais uma vez obrigada à Agência TC, à Vizcaya e à Paramont pelo convite. Adorei!

Fotos: Divulgação.

Resenha: Três Coroas Negras, Kendare Blake

Três Coroas Negras me chamou a atenção pela capa. Em um preto aveludado elegante, com três coroas dispostas verticalmente, cada uma delas com adornos diferentes, o livro definitivamente me despertou a curiosidade.

Três Coroas Negras

O livro traz a história de três irmãs gêmeas, Katherine, Mirabella e Arsinoe. Separadas umas das outras aos seis anos de idade, foram treinadas de acordo com seus talentos e educadas para odiarem umas às outras.

Katherine é a rainha envenenadora, Mirabella a rainha elemental e Arsinoe a rainha naturalista. Os envenenadores são os que têm a dádiva de serem habilidosos com venenos e imunes a eles. Os elementais são os que podem manipular os elementos. Por fim, os naturalistas são os que conseguem controlar os animais e fazer brotar e florescer as mais belas plantas.

Todas são dádivas concedidas pela Deusa, que a cada geração faz nascer da linhagem real trigêmeas cada uma abençoada com uma dessas dádivas. Porém o costume local é que apenas uma rainha pode governar. Por isso elas são separadas de sua mãe ao nascer e aos 6 anos de idade cada uma é levada para um local da ilha em que vivem de acordo com suas dádivas.

Três Coroas Negras

Quando separadas são treinadas e preparadas para que, aos 16 anos, no festival Beltane, elas mostrem os seus poderes para o povo e então começa o que a autora chama de “Ano da Ascenção“. A partir deste Beltane em especial, as três rainhas recebem a permissão de matarem umas às outras até que apenas uma sobreviva. A sobrevivente reinará. Cruel não é?

A ideia do livro Três Coroas Negras é bastante boa. Toda esta questão das três rainhas e suas dádivas especiais é bastante atrativa.

Cada capítulo do livro mostra uma rainha e o que está se passando com ela. A sua preparação para a festa de aniversário de 16 anos e a sua trajetória até o fatídico Beltane. Katherine, Arsinoe e Mirabella tem personalidades completamente diferentes, moldadas pela maneira como foram tratadas e o que lhes foi ensinado. A gente consegue às vezes sentir pena, as vezes torcer por uma, e, às vezes sentir raiva da outra, sem conseguir ter uma preferida por muito tempo.

Porém acredito sinceramente que a trajetória delas poderia ter sido melhor desenvolvida, dando mais profundidade à história de cada uma delas. É tudo meio raso, entende? Faltam explicações.

O bom de Três Coroas Negras é que é fácil é bem rápido de ler. O li em um final de semana. É uma leitura que prende e flui. A história é essencialmente feminina. Os personagens masculinos tem sua importância, mas são meramente coadjuvantes.

Há uma ênfase muito grande no romance entre Jules, a melhor amiga de Arsinoe e o amigo de ambas, Joseph. O romance até tem sua importância para o desenvolvimento final do livro, mas Arsinoe, uma personagem super interessante, acaba ficando em segundo plano.

O final surpreende, o que me deu esperanças de uma continuação que explique melhor o universo criado pela autora, a religião que leva uma rainha matar as outras e a origem de todos esses poderes impressionantes.  A conferir quando o próximo livro sair. Eu acho que pode vir a ser muito bom, espero não me decepcionar.

Três Coroas Negras

No final das contas vale a pena ler Três Coroas Negras. Mesmo que muitas coisas tenham ficado no ar, a sensação que dá é que a autora deixou o melhor pra depois e em doses homeopáticas. De qualquer maneira o livro entretém e dá pra ler bem rapidinho.

Editora Globo Alt, tradução de Alexandre D’Elia

Tenho outras resenhas e indicações de livros aqui. Vem dar uma olhada!