Trono de Vidro 2 – Coroa da Meia-noite

Como vocês já devem ter lido aqui e aqui, eu sou uma grande entusiasta da série de livros Trono de Vidro, de Sarah J. Maas. Comecei a ler meio que sem querer um e-book que ganhei numa promoção da Amazon. Quando vi comprei praticamente a série toda em livros físicos. E, vou dizer uma coisa muito séria a vocês:  se o livro 1 e o livro 1,5 já eram excelentes, em Trono de Vidro 2 a história vai ficando cada vez melhor.

Caso você ainda não tenha lido o volume 1, melhor parar a leitura por aqui pois pode conter spoilers. Afinal é impossível falar da continuação sem revelar uma coisinha ou outra né.

Trono de Vidro 2

Trono de Vidro 2 – A coroa da Meia-noite retoma a história de Celaena Sardothien um pouco depois dos acontecimentos do primeiro livro. Nesse ponto, recomendo demais ler A Lâmina da Assassina. Este volume é importante pois, apesar de ser sobre um passado recente de Celaena, nos ajuda a entender muitas coisas sobre a própria assassina e ajuda a compreender também algumas nuances da história que aos poucos se desenvolve.

Celaena é agora a campeã do Rei de Adarlan, após ter vencido – às duras penas – o fatídico torneiro relatado no primeiro volume. O rei cruel e com um aspecto demoníaco cada vez mais aparente, manda sua campeã em viagens para assassinar diversas pessoas. Além de ter que levar provas dos assassinatos, Celaena é impedida de fugir por uma ameaça feita pelo rei de matar os amigos que fez na corte. Os amigos e as famílias deles. Sim, a assassina, por mais que tente esconder, por mais que esteja calejada das decepções e horrores pelos quais passou, ainda tem um coração. Assim, temendo por seus amigos ela faz o que está ao seu alcance para que o rei pelo menos acredite que ela está cumprindo suas ordens.

É interessante notar o quanto a autora é habilidosa em desenvolver a trama. Não há enrolação, sabe? Tudo está conectado então é importante prestar atenção. À medida em que a trama vai se desenvolvendo percebemos que nada é o que parece  e os personagens tem uma complexidade, uma profundidade, que vai muito além das aparências.

O príncipe Dorian não é simplesmente um cara vaidoso, superficial e mulherengo. Ele tem mais a mostrar e a desenvolver de acordo com o caminhar da história. Acredito que será peça chave para coisas grandiosas mais adiante.

O capitão da guarda Chaol não é só um soldado rígido e disciplinado. Há muito mais nele. Há uma paixão ardente que ele a todo custo tenta não demonstrar até que não seja mais possível. Além disto, há algo de misterioso em seu passado que nos dá uma noção do papel que ele pode vir a desempenhar.

A princesa Nehemia, que se torna a melhor amiga de Celaena, não é uma princesa indefesa. É uma mulher forte e inteligente que quer libertar seu povo das garras do cruel rei de Adarlan. Ela sabe muito mais do que demonstra.

Trono de Vidro 2

Tudo está ligado, como se o universo lentamente conspirasse a favor de Celaena para que ela cumpra o seu verdadeiro destino. Não que o universo conspire de maneira tranquila. Pelo contrário. E neste volume há ainda mais magia que no primeiro.

O destino de Celaena é empolgante, maravilhoso e ao mesmo tempo assustador. Um destino do qual ela foge desde que fora encontrada pelo o Rei dos assassinos ainda criança. Ela SABE quem ela é, sabe a sua importância, mas tem medo e foge disso. Quase como uma garotinha mimada e voluntariosa, o que deseja é completar os anos de serviço com o rei e depois desaparecer. A gente acaba ficando com raiva dela algumas vezes por ser tão teimosa. Somente algo grandioso fere Celaena tão profundamente a ponto de ela começar a aceitar (em parte) o destino do qual sempre fugiu. Não vou contar o que é, mas ela tem um grande baque na história que muda absolutamente tudo para ela.

Trono de Vidro 2

Gente, sério, são MUITAS revelações importantes nesse livro. Trono de Vidro 2 nos faz ter certeza que ainda há muita coisa por vir. Eu mesma já emendei do volume 2 para o volume 3 de tão empolgada que fiquei com o final de Coroa da Meia-noite. É aquele tipo de livro que a gente fica com vontade de mais e mais. Sarah J. Maas sabe bem o que está fazendo e sabe envolver os leitores como ninguém.

Trono de Vidro 2 – Coroa da Meia-noite é  da Editora Galera Record, com tradução de Mariana Kohnert.

E você? Já leu algum volume de Trono de vidro? Está gostando? Conte nos comentários o que achou.

Beijos e até a próxima. 😉

18ª Bienal do Livro do Rio está bombando…

…e eu fui!  A alegria de quem ama livros é visitar a Bienal. Não tem evento mais feliz para leitores vorazes. No último sábado, dia 02/09, eu estive visitando a Bienal do Livro do Rio e amei o que vi.

Como eu fui no sábado à tarde, o lugar estava apinhado de gente. Muita gente chegando, e muita gente saindo. Mas mesmo assim, lá dentro estava muito lotado. Confesso que não imaginei que não fosse estar tão cheio, já que – apesar do volume de carros estar absurdo do lado de fora – a fila do ingresso estava muito fluida e não tive que esperar nada. Rapidamente estava lá dentro maravilhada com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo.

Bienal do Livro RioO estande da Intrínseca está lindo todo decorado por painéis temáticos dos seus livros mais vendidos.

A Panini era um dos estandes mais concorridos com fila para entrar. Com direito ao Deadpool falando com todo mundo do lado de fora e a Mônica tirado fotos com os fãs. E fica em frente ao simpático estande da Amazon.

Bienal do Livro Rio

A Cia das Letras marca presença com um estande lindíssimo, clássico e de extremo bom gosto. Lotado, como a maioria dos espaços da feira.

Bienal do Livro Rio

A Saraiva, claro, está lá, toda imponente com não apenas um, mas dois estandes gigantescos um ao lado do outro, com um corredor no meio. Neste corredor tem um “Trono de Ferro” e uma considerável fila para tirar foto nele.

Bienal do Livro Rio

O ponto forte, para mim, sem dúvidas foi conhecer o estande da Rocco. Eles capricharam demais no estande que lembra Hogwarts. Um castelo lindo que fica bem no pavilhão azul, nos convidando a entrar apesar do movimento intenso. Os detalhes no interior deixam qualquer um encantado. Fiz algumas fotos, mas confesso que foi difícil de conseguir ver tudo de tão cheio.

Bienal do Livro Rio

Bienal do Livro Rio

Bienal do Livro Rio

Eles estão com várias edições diferentes da saga de Harry Potter, com capas especiais. Praticamente todo o estante é dedicado ao tema. Você fica sem saber pra onde olhar.

Bienal do Livro Rio

Tem também um cantinho dedicado à Clarice Lispector. Com detalhes de máquina de escrever antiga e uma foto dela em tamanho real, onde as pessoas tiram fotos.

Bienal do Livro Rio

 

Essa foto “bônus” é só pra mostrar que lá no estante da Record tem o meu querido Trono de Vidro, a saga completinha. =)

Bienal do Livro Rio

Se tiverem a oportunidade de ir à Bienal do Livro do Rio, eu recomendo. Acredito que durante a semana deverá estar mais vazio. A feira vai até o dia 10/09 e tá valendo a pena ir visitar. Mas eu recomendo ir, visitar, pegar autógrafos dos autores, mas deixar pra fazer suas compras pela internet onde os descontos estão melhores. 😉

A Pequena Livraria dos Corações Solitários de Annie Darling

Esse é mais um livro dos que comprei pela capa. Sei que não se deve fazer isso, mas, como designer, é mais forte do que eu. Os tons suaves, as combinações de cores, dão uma ideia de leveza ao livro que traduz bem o tipo de história que encontramos nele. A Pequena Livraria dos Corações Solitários é como um bom filme de comédia romântica.

A pequena livraria dos corações solitários

Todos os elementos estão presentes: Posy Morland, a mocinha atrapalhada; Sebastian, o galã charmoso que não vale nada; os amigos da mocinha; o vilão; o toque sentimental; o drama; a perda; as reviravoltas e as confusões que uma falta de boa comunicação pode causar . Como os próprios personagens gostam de chamar, um verdadeiro Chick Lit, ou seja,”um gênero de ficção dentro da ficção feminina, que aborda as questões das mulheres modernas. Chick-Lits são romances leves, divertidos e charmosos, que são o retrato da mulher moderna, independente, culta e audaciosa”.

Posy Morland é uma jovem mulher que cresceu na livraria onde trabalha e onde seus pais trabalharam. É apaixonada por romances e sua vida é ler e fantasiar sobre histórias de amor mas sem nunca vive-las. Até aí, tudo bem, afinal cada um faz de sua vida o que achar melhor. Ela não estava infeliz assim. O negócio é que a dona da livraria, Lavínia, morreu e decidiu deixar a livraria para ela. O problema é que além da livraria estar praticamente falida, ela agora automaticamente viraria chefe de seus amigos.

Com a responsabilidade do emprego dos amigos nas costas, o medo de tudo dar errado e a possibilidade de perder não apenas a loja como sua própria casa (ela mora com o irmão no apartamento do andar de cima), Posy ainda precisa lidar com a presença indesejada e insistente de Sebastian, o neto da falecida Lavínia.

Sebastian é um cara lindo. Mas é ao mesmo tempo conhecido como o cara mais grosso de Londres. E faz jus à sua fama. O que tem de lindo ele tem de mala sem alça e não perde a oportunidade de perturbar Posy. Para ser sincera é justamente aí que me incomoda. Não pelo Sebastian, ele realmente é irritante. Mas pela Posy. Entendo que seja uma comédia romântica e tudo mais, mas o fato de ela ser tão atrapalhada e não conseguir reagir com ele que me incomodou bastante.

A pequena livraria dos corações solitários

Mas A Pequena Livraria dos Corações Solitários tem salvação. Posy passa um tempo fantasiando sobre Sebastian enquanto escreve um romance para extravasar a frustração que ele lhe causa. Os textos com toque cafona que ela escreve rende boas risadas. Quando Posy decide tomar as rédeas de sua vida, ela tem uma ideia bem bacana para tirar a livraria do buraco. E é claro que muitas coisas atrapalham esse percurso. Ainda que previsível, o plot twist é bem satisfatório, onde a autora resolve todas as pontas soltas e o que parecia ser uma coisa na verdade era outra.

Apesar de Posy ser completamente diferente se mim, em alguns pontos eu pude me identificar com ela. Cheguei a marcar alguns trechos onde ela fala dos pais e o que sua perda representa para ela.

A Pequena Livraria dos Corações Solitários  é uma leitura leve e divertida. Para pessoas que curtem romance como eu. Meu sonho era herdar uma livraria, seria fantástico. Então esse livro faz com que pessoas apaixonadas por livros como eu meio que se sintam em casa e sonhem não apenas em ter uma livraria como em também escrever mais e mais. No fim das contas vale a pena.

A Pequena Livraria dos Corações Solitários, publicado pela Verus Editora, com tradução de Cecília Camargo Bartalotti, é o primeiro livro da série A Livraria dos Corações Solitários. A série vai retratar a história de cada um dos funcionários da livraria que Posy herdou. Os amigos de Posy, um “alegre bando de desajustados” que por uma razão ou outra desistiram do amor e, ainda assim, o encontram quando menos esperam.

Outras resenhas de livros? Clique aqui 🙂