28 anos de A Pequena Sereia

O filme da minha princesa favorita de todos os tempos, Ariel, A Pequena Sereia, foi lançado há 28 anos atrás no dia 17 de novembro de 1989. E é claro que eu precisava comentar algo a respeito. Do Heavy Metal às princesas Disney, sim, eu tenho gostos bem variados! Esse é o meu jeitinho hahahahah (piadinha besta, só pra chamar vocês para lerem meu post anterior também, rá!) Eu sou tão fã da Ariel, que o meu bolo de aniversário desse ano foi com essa tema.

A Pequena Sereia

 

A Pequena Sereia e a Era do Renascimento

Muitos não sabem, mas a história dos Estúdios Disney é contada através de suas Eras. Elas são: A era de ouro, Os tempos de Guerra, A era de prata, A era de bronze, O renascimento, O pós-renascimentoA era da renovação e, finalmente, a era dos live-action, ou filmes de “carne e osso”.

Só para ambientar um pouco: a era de ouro corresponde aos cinco primeiros filmes de animação da Disney, Branca de Neve, Pinóquio, Fantasia, Dumbo e Bambi. São filmes inesquecíveis que trouxeram a magia Disney à vida das pessoas.

Os tempos de guerra aconteceram justamente durante a Segunda Guerra Mundial, que por sua vez trouxe muitos problemas. Com verbas reduzidas para a produção dos longas que requeriam uma grande equipe de animadores, os estúdios Disney passaram a produzir animações menores.

A era de prata durou quase duas décadas e filmes que foram arquivados durante a Segunda Grande Guerra são finalmente produzidos, dentre eles nossa amada Cinderela, Alice no País das Maravilhas, A Dama e o Vagabundo, 101 Dálmatas dentre outros.

A era de bronze ocorreu após a morte de Walt Disney em 1966. Os estúdios se afastaram dos contos de fada e se concentraram em histórias originais como Aristogatas, O Caldeirão Mágico, As Aventuras do Ursinho Pooh, Bernardo e Bianca etc. A era de bronze é também conhecida como era obscura, pois houve pouca receptividade do público.

A Pequena Sereia Ariel

Então chegamos ao Renascimento. E aí que A Pequena Sereia se torna um marco na história das animações. Os estúdios quase afundaram na era anterior. Quando A Pequena Sereia chegou aos cinemas em 1989 resgatou a magia dos contos de fadas atraindo novamente o público. Com o filme o mundo conheceu Ariel uma das princesas mais amadas de todos os tempos. Depois disso vieram filmes como A Bela e a Fera, Aladdin, O Rei Leão, Pocahontas, O Corcunda de Notre Dame, Hércules, Mulan e Tarzan.

Algumas curiosidades

O ruivo dos cabelos da Pequena Sereia foram escolhidos por motivos técnicos. Ela inicialmente seria loirinha como as sereias costumam ser retratadas. Mas o ruivo foi escolhido em parte porque o vermelho e o verde são cores complementares, e também porque Daryl Hannah acabava de jogar uma sereia loira no popular “Splash“.

A Pequena Sereia

Afirma-se também que a cor funcionava melhor no escuro no fundo do oceano, além do fato de que o melhor amigo de Ariel, o Linguado ser amarelo era necessário algo que se destacasse mais.

A Pequena Sereia

 

Ariel é uma das primeiras princesas a salvar o príncipe por incrível que pareça. Não foram Elsa e Anna que começaram esse movimento, e sim Ariel. Lá no início do filme tudo o que Ariel queria era poder se aventurar no mundo dos humanos. Só depois que ela vê o príncipe e o salva de se afogar no mar depois que seu navio é destruído por uma tempestade. Ariel o tira da água e canta para ele até ele melhorar, fugindo logo que ele acorda.

A Pequena Sereia Ariel salva Eric

Mais tarde no filme Eric a ajuda a salvar o pai dela, mas não antes de ser salvo novamente por Ariel de ser destruído pela bruxa do mar, Úrsula. Ariel não é em momento algum uma donzela indefesa fazendo tudo por amor. É uma princesa curiosa, que sonha em viver grandes coisas. Encontrar o amor foi apenas consequência. Já Eric era o cara que buscava o amor.

A cor azul-esverdeada da cauda de Ariel foi especialmente misturada pelo laboratório de pintura da Disney – eles chamaram a nova cor “Ariel” em sua homenagem.

Na cena de abertura com o rei Tritão, você pode ver o Mickey Mouse, o Pateta e o Pato Donald na multidão.

Nos desenhos de desenvolvimento originais, Úrsula foi retratada como um peixe-espinho ou um peixe-escorpião.

A Pequena Sereia - Úrsula

Após a primeira exibição, o produtor Jeffrey Katzenberg queria cortar a música “Part of Your World“. (Ele admite agora que é uma história embaraçosa.)

Sobre os nomes das muitas irmãs de Ariel: Atina foi inspirada por um musical que Alan Menken escreveu intitulado “Atina: Rainha do mal da galáxia”, Alana era o aceno lírico de Howard Ashman para Alan Menken e Andrina era o nome de uma das diretoras instrutores de aeróbica.

Os nomes das irmãs de Ariel são Aquatta, Andrina, Arista, Attina, Adella e Alana. O nome completo de Sebastião é Horacio Thelonius Ignatius Crustatious Sebastian.

A Pequena Sereia - irmãs de Ariel

Alan Menken nunca havia composto um título de destaque para um filme da Disney antes, então A Pequena Sereia foi considerada uma espécie de teste. Ele achou que sua primeira música era horrível e tinha certeza de que ele seria demitido.

O nome do tubarão é Glut, embora nunca seja mencionado no filme. Originalmente, Glut voltaria para outra luta, apenas para ser derrotado por Linguado em um momento de glória, mas foi cortado quando a história foi simplificada.

Quando Linguado está falando sobre Sabidão, ele se transforma fisicamente na gaivota por alguns segundos.

A Pequena Sereia - Linguado

Príncipe Eric é considerado um dos príncipes mais charmosos de todos os tempos. É também o segundo Disney Príncipe para matar o vilão do filme, sendo o primeiro, o príncipe Phillip e o terceiro Aladdin (ou quarto, se você contar com a Fera derrotando Gaston). Príncipe Eric é o primeiro Disney Príncipe a ter covinhas e único príncipe Disney a ser pai.

A Pequena Sereia - Príncipe Eric

A Pequena Sereia Ariel e Eric casam

Muitos dos marinheiros que dançam no navio do Príncipe Eric são caricaturas de pessoas da equipe. O homem que dança na plataforma é relatado Razoul Azadani, que trabalhou com Ron Clements e John Musker em vários filmes (recentemente ele era um artista de layout em Paperman).

A Pequena Sereia

Existem outros dois longas contando a história de Ariel. Em A Pequena Sereia 2 vemos Ariel como mãe de uma menininha chamada Melody que faz o caminho inverso da mãe: quer por que quer viver no mar. Ariel é de fato a única princesa a se tornar rainha e mãe nas histórias da Disney.

A Pequena Sereia 2

O filme A Pequena Sereia 3 conta os acontecimentos anteriores do primeiro filme. Mostrando a mãe de Ariel, a rainha Athena, e os motivos porque o rei Tritão queria distância do mundo dos humanos.

A Pequena Sereia 3

Há também uma série de desenhos animados de A Pequena Sereia, mostrando as aventuras de Ariel antes do primeiro filme.

A personalidade de Ariel é de uma garota curiosa e corajosa. Além de ser muito gentil e sonhadora. Por mais que queira explorar o mundo dos humanos, ama sua família de todo coração e se preocupa com todos. Muito generosa, uma princesa admirável.

A voz de Ariel

Jodi Benson, a atriz que fez a voz de Ariel cantando aquelas canções todas lindas do filme A Pequena Sereia, vai reprisar deu papel no filme Detona Ralph 2, onde todas as princesas vão aparecer. Esse filme deve sair em novembro de 2018, mas até lá dá pra se deliciar com a voz de Jodi em vários vídeos do canal da Disney no YouTube.

E aí, já sabiam dessas curiosidades a respeito da Ariel? As informações foram tiradas do site Oh My Disney e algumas das imagens também.

Beijos e até a próxima!

Série Versailles – Louis XIV, Filipe de Orleans, intrigas, etiqueta e moda

A Série Versailles, recém lançada na Netflix, já ganhou meu coração. Focada no relacionamento conturbado de Louis XIV com seu irmão Filipe de Orleans, a trama tem como pano de fundo o palácio de Versailles, a construção dos monumentais jardins e a expansão do que antes era o pavilhão de caça de seu pai, tornando-o o maior palácio do mundo.

Série Versailles

É claro que, como toda boa trama real que se presa, o que não falta são intrigas e traições. Política, estratégias e Louis XIV se tornando o Rei Sol como o conhecemos através dos livros de história.

Série Versailles

A Série Versailles começa quando a mãe de Louis XIV, Ana de Áustria, morre e ele ainda luta para se estabelecer no trono. Como Louis III, pai de Louis XIV faleceu quando este tinha apenas 5 anos de idade, Ana de Áustria fora instaurada regente, governando em nome do filho até ele completar 13 anos de idade. Só que aos 13 anos, ele era rei só no nome praticamente, sendo que o primeiro ministro Mazarin (sucessor do cardeal Richelieu) quem ainda comandava na prática.

Apenas 10 anos depois, aos 23 anos que Louis XIV anunciou que assumiria ele próprio o governo do reino. Sua mãe morreu 5 anos depois aproximadamente. Na série mostra o quão ligado ele era à mãe e o quão perdido fica neste momento de sua vida quando tenta manter o controle sobre os nobres de sua corte e sobre todos o país.

Série Versailles
Conhecido por ter tido várias amantes – e ter tido com elas vários filhos os quais legitimou em sua maioria –  a primeira temporada da série mostra algumas das mais importantes delas. Além disso, o relacionamento frio com sua esposa a rainha consorte Maria Teresa de Áustria.

Série Versailles

Mas o que queremos ver? Louis XVI e seu irmão Filipe de Orleans brigando pelos mais variados motivos. Os dois o que tem de lindos tem de briguentos. Guerras de egos acontecem entro os dois, mas como bons irmãos que se presam, são os dois contra o mundo. Um acaba sempre apoiando o outro não importa o quão arrogante um seja ou o quão controverso e chocante o outro tente ser.

Filipe é extremamente liberal e apaixonado por moda e boas maneiras. Interessante ver como Louis pede ao irmão que instaure regras de etiqueta como uma manobra política para fazer com que os nobres que vivem em sua corte se acalmem e se ocupem, servindo o rei com mais elegância. Tudo faz parte de um teatro.

Série Versailles

A moda é mostrada de maneira discreta, com mudanças bastante sutis ao longo da primeira temporada. Naquela época as mudanças da moda eram bem lentas mesmo, e só quem prestar atenção vai notar o caminho que o figurino vai traçando para que mais adiante as influências do Rei Sol desponte em toda a sua corte.

São pequenas referências, um diálogo aqui e outro ali, que anunciam o que a série ainda promete mostrar. As cores tenderão a ser mais extravagantes e tudo se tornará muito mais grandioso, caminhando para o que é conhecido na história por Era Barroca. Pode apostar.

Série Versailles

A série Versailles é linda de se ver. É uma superprodução que dizem por aí ter custado 27 milhões de euros. Algumas cenas são gravadas no Palácio de Versailles mesmo e as demais externas são feitas em diversos jardins de castelos franceses.

O elenco é composto por George Blagden, conhecido por seu papel em Vikings, agora é como Luís XIV, o vaidoso Rei Sol. Alexander Vlahos como Monsieur Filipe I, Duque de Orléans, irmão do rei, gosta de homens e mulheres e até se veste de mulher para afrontar o irmão (para você ver como o mundo é e sempre foi gay). Evan Williams maravilhoso como Chevalier de Lorraine, amante de Filipe. Tygh Runyan como Fabien MarchalStuart Bowman como Alexandre Bontemps, valete do rei. Amira Casar como Béatrice, Madame de Clermont. Noémie Schmidt como Henriqueta da Inglaterra, esposa de Filipe. Anna Brewster como Françoise-Athénaïs, Marquesa de Montespan, amante do rei. Sarah Winter como Louise de La Vallière, amante do rei. Elisa Lasowski como rainha consote Maria Teresa, entre outros.

Se você curte moda, realeza e história francesa, vai amar essa série. Claro que há várias licenças poéticas para tornar tudo mais interessante. Não se preocupe, ela é toda em inglês (claro que tem dublada e com legenda, mas acho que deu pra entender onde quero chegar ;)) Ah, não é bom ver com família ou filhos, pois ela tem bastante cenas de nudez e sexo.

Quer mais dicas de filmes e séries: clica aqui. 🙂

Ahh, olha que linda a música de abertura! É da banda M83, e a música se chama Outro. Amo!

Lúcifer e outras coisinhas que ando assistindo na Netflix

Netflix é um tipo de universo paralelo que você se perde lá dentro uma vez que começa a navegar nas opções oferecidas. E como se não bastasse, a cada mês eles trazem mais novidades. Somando isso ao incrível atendimento ao público que eles fazem (basta ver o seu Facebook e a interação feita nos comentários), pronto, não tem como não amar.  O que gera um forte problema de procrastinação. Você pensa “só vou assistir mais esse episódio“, mas quando você percebe, já terminou uma temporada inteira. É como um bom jogo de videogame, você estipula que vai jogar somente uns 20 minutinhos. 3 horas depois você se da conta que deixou de fazer um monte de coisas. Fazer o que? Vício é vício, não é amores?

Vou contar pra vocês o que ando assistindo na Netflix, mas preciso avisar que tenho gostos peculiares…

Séries:

Lúcifer

Duas semanas atrás a Netflix trouxe essa série para o su catálogo. Já tinha tempo que eu tinha vontade de assistir. Havia visto uns trailers e alguns trechos divertidos e quando a netflix anunciou fiquei feliz da vida.

Netflix - Lúcifer

O Lúcifer da série simplesmente cansou de viver no inferno punindo almas e decidiu ir para Los Angeles viver a vida como um mortal (só que não). Um cara cheio da grana, playboy, dono de boate, festeiro, zoando geral e fazendo acordos por aí. É uma série divertida, sem dúvidas. Poderia melhorar em algumas coisinhas, mas eu curti bastante. É baseada em quadrinhos da DC comics.

Unbreakable Kimmy Schmidt

Se você ainda não conhece a Kimmy, não sabe o que está perdendo. Sério mesmo. Uma das séries mais loucas que já vi, onde uma piada é disparada atrás da outra a ponto de ficarmos até meio perdidos. Kimmy passou 15 anos da sua vida em um bunker e quando foi resgatada teve que se readaptar, e acaba passando pelas situações mais doidas. Tudo saiu da cabeça da comediante Tina Fey que faz algumas participações. A série conta com três temporadas já.

Um destaque para o maravilhoso Titus Andromedon que rouba a cena muitas e muitas vezes.

Anne With an E

Anne é uma garotinha ruiva muito peculiar. Orfã e maltratada desde muito pequena, depois de ter sido muito rejeitada é finalmente adotada, porém as coisas não saem exatamente como ela sonha. Muito sonhadora, aliás, ela usa a imaginação para fugir da dura realidade, mantendo assim seu coração puro e cheio de esperanças.

Netflix - Anne With an E

Às vezes a garotinha fala de mais, o que a faz parecer enfadonha algumas vezes, mas aos pouquinhos ela vai conquistando os corações de todos que a cercam. É uma graça, uma delícia de assistir.

Filmes:

Fome de Poder

Quer ficar com raiva da empresa McDonalds, veja esse filme de como um pequeno restaurante da rota 66 se tornou o maior franchising do mundo. Vale a pena, mas acredite, você vai ficar com raiva.

Walt Antes do Mickey

Uma outra história muito bacana de se ver é como a Disney foi criada. Os altos e baixos de Walt Disney, que passou até fome, mas persistiu e criou a empresa mais amada do mundo. Este é o oposto do McDonalds, ele tem valores fortes e bonitos. “Não há substituto para o trabalho duro.”

 

O Mínimo para Viver

Drama emocionante com Lily Collins no papel de Ellen, uma jovem mulher com anorexia, um distúrbio alimentar bastante sério, e Keanu Reeves no papel de médico que tenta ajuda-la a superar este problema. Me emocionei muito com o filme e acredito que ele mostre apenas 1/10 do que realmente a doença pode causar não apenas a quem está enfrentando-a como também a seus amigos e familiares. Muito tocante, vale a pena conferir. Para entender um pouco melhor a gravidade do assunto e, quem sabe, desenvolvermos um pouco mais de empatia uns para com os outros.

Animes:

One Punch Man 

One Punch Man é um cara que tem o soco mais poderoso do mundo. Meio deprimido, meio chateado, herói nas horas vagas, mas um verdadeiro pé rapado. O anime é um dos mais divertidos que eu já vi, mas tem que ser dublado, pois é muito mais engraçado assim.

Netflix - One Punch Man

 

Castlevania

O anime baseado no game homônimo tem episódios curtos e uma trama bem interessante. Curti bastante e já espero pela segunda temporada.

Eu assisto muita coisa, gente, sério mesmo. Estas são apenas algumas das coisas interessantes que achei na Netflix. E vocês? O que costumam assistir?
Tem dicas de outros filmes e outras séries aqui. 😉