Design: Loog Guitars cria violões e guitarras para crianças

Quem nunca quis aprender a tocar guitarra quando criança? E até mesmo quando adultos, sabe o quanto é difícil aprender um instrumento de cordas. A não ser naqueles casos raros em que a pessoa já nasce com talento pra coisa e tudo parece ser fácil. Mas a realidade é que para meros mortais, aprender a tocar violão ou guitarra não é uma tarefa simples. Pensando nisso, a empresa Loog de New York desenvolveu uma linha de violões e guitarras para crianças e iniciantes.

Loog Guitars - violões e guitarras para crianças

A Loog Guitars tem dois modelos de guitarra: o Loog Pro e o Loog Mini. Estes instrumentos tem apenas 3 cordas, permitindo tocar qualquer música com os acordes mais básicos e facilitando o aprendizado de quem está iniciando no mundo da música. Juntamente com suas guitarras de 3 cordas, criaram cartõezinhos com acordes e um app para ajudar você ou seu filho (ou sobrinho, irmão mais novo, qualquer criança) a aprender imediatamente.

Loog Guitars - violões e guitarras para crianças

As Loog Guitars  possuem cordas de guitarra reais bem como a afinação. Sendo as cordas as três primeiras de uma guitarra padrão. Além de tudo, o fato de ter apenas três cordas, faz com que o braço da guitarra / violão seja mais fino, fazendo com que a criança não tenha tanta dificuldade de fazer os acordes com suas mãozinhas pequeninas.

A linha Loog Pro é direcionada para crianças com mais de 8 anos de idade (isso inclui qualquer adulto também que queira aprender, tipo eu e você hehehe). São modelos de violão acústico ou guitarra elétrica que possuem tudo o que os violões e guitarras normais possuem, como mão, tarraxas, casas, trastes, pontes, knobs, ponte e um captador. Prontas para tocar. Fora as várias opções de cores. Cada uma mais linda que a outra!

Loog Guitars - violões e guitarras para crianças

Loog Guitars - violões e guitarras para crianças

Loog Guitars - violões e guitarras para crianças

Já a linha Loog Mini é para crianças acima de 3 aninhos. Uma graça!  Projetadas para serem os primeiros violões da criança. Tem o mesmo tamanho de um ukulele, mas soa como um violão regular. Ele também vem com cartões de acordes e o app para ajudar no aprendizado da criança. Uma fofura né?

A empresa Loog Guitars está no mercado desde 2011, e começou como um projeto acadêmico do designer Rafael Atijas. Em março de 2011 a empresa foi lançada no mercado através do Kickstarter, um site direcionado ao incentivo de novas ideias, novos projetos. O bacana da Loog é sua paixão pela música combinada com design sustentável. Eles usam apenas madeira de florestas geridas de forma responsável e são comprometidos com padrões de qualidade e segurança que atendem as regulamentações governamentais.

Loog Guitars - violões e guitarras para crianças

Super bacana né?

Quer ver mais sobre Design? Dá uma olhada aqui. 😉

Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar – Review

Eu sou muito, mas muito suspeita mesmo em falar desta franquia. Primeiro porque amo tudo sobre piratas e segundo porque tenho uma relação especial com a atração Piratas do Caribe da Disney. Claro que fiquei louca para ver Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar, o quinto filme da franquia.

Piratas do Caribe

Piratas do Caribe na Disney

Digo que sou suspeita, pois, não sei se vocês sabem, mas a franquia de filmes foi inspirada em uma antiga atração da Disney. Quando eu visitei pela primeira vez os parques, ninguém imaginava que a atração um dia daria um enredo para um filme, quanto mais de uma franquia inteira.

Fui pela primeira vez na Disney em 92. E foi visitando o Magic Kingdom que conheci a atração Piratas do Caribe. Fui com meus pais e irmão e lembro que todos nos divertimos muito.  Os bonecos quase pareciam pessoas de verdade. Os movimentos, a música, os piratas bêbados e a batalha entre navios que “quase” acertam os espectadores. Simplesmente uma experiência fantástica. Por isso que, quando os filmes foram lançados, me apaixonei por eles também.

Sempre que volto na Disney, gosto de ir nesse brinquedo. Depois dos filmes eles adicionaram bonecos o Jack Sparrow tão perfeitos que você diria que é o ator de verdade.

Falando nisso, vocês viram a ação que a Disney fez no brinquedo? Johnny Depp fez essa surpresa pros fãs no inicio do mês, se vestindo de Jack Sparrow e dando um sustinho em quem andava no brinquedo na Disneylandia:

A Disney sabe fazer as coisas de maneira tão mágica, que é impossível você não sair dos parques super feliz.

Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar

Nos EUA o filme recebeu o titulo de “Dead Men Tells no Tales“, que seria algo como “Homens mortos não contam histórias”. Porém em vários países decidiram mudar o título para Vingança de Salazar. Ninguém entendeu muito bem o porquê disso, e houve até quem dissesse que parecia um nome de episódio do programa Chaves. No fim das contas isso acaba perdendo a importância.

Piratas do caribe: A Vingança de Salazar é um filme divertido, voltado pra família, que lembra bastante os primeiros filmes da franquia.  De uma certa maneira é reconfortante quando o Capitão Jack Sparrow  aparece novamente na telona, aprontando uma das suas. A cena do banco,  que introduz o personagem no filme, é maravilhosamente mentirosa e divertida. Outra que eu adorei e morri de rir foi a cena da guilhotina. Não vou dar mais detalhes porque seria spoiler e não quero estragar sua experiência com o filme.

Piratas do Caribe

O que Piratas do Caribe ser tão querido pelos fãs está no filme. Aquela fórmula que faz o filme ser diversão garantida: Capitão Jack Sparrow atraindo confusão, vários querendo matar ele, uma maldição a ser quebrada, um artefato a ser encontrado, um casal que se apaixona, um super vilão, muita aventura, batalhas e aquele ritmo incansável.  Até o icônico navio Black Pearl está lá. Alguns personagens queridos, que não estiveram presentes em Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas,  também voltam nesta sequencia.

Piratas do Caribe

Os efeitos especiais estão impecáveis. O exército de fantasmas que acompanham o vilão Capitão Salazar são surpreendentemente bem feitos. Em um flashback vemos Jack Sparrow bem novinho, como próprio Johnny Depp sendo rejuvenescido por efeitos de CGI. Assisti em 3D, porém acho que a experiência em 2D seria tão boa quanto. A fotografia do filme está belíssima, e, muitas das cenas são claras predominando tons de azul. Foi filmado em Queensland na Austrália, o que confere ao filme as mais belas cenas.

Piratas do Caribe

Piratas do Caribe

A direção é de Joachim Rønning e Espen Sandberg. Javier Bardem interpreta o vilão Capitão Salazar. O elenco traz ainda Brenton Thwaites como Henry Turner, Kaya Scodelario como Carina Smyth, Orlando Bloom (Will Turner) e Geoffrey Rush, nosso querido e ao mesmo tempo odiado Capitão Barbossa. Tem também uma divertida participação especial de Paul McCartney.

Há uma cena pós-créditos que vale a pena conferir. Ela dá dicas sobre o futuro da franquia!

Johnny Depp estaria cansado de Jack Sparrow?

As coisas não andam muito boas pro lado de Johnny Depp nos últimos tempos. Ele que foi de um dos atores mais amados pelo público a um dos mais rejeitados devido aos recentes escândalos de sua vida pessoal. Lembra de como todo mundo amou quando ele foi fazer uma surpresa para crianças em hospitais? Era um ator muito querido.

Há quem diga que o ator esteja se cansando de seu papel, mas eu me pergunto até que ponto ele não está cansado das polêmicas envolvendo o nome dele. Me pergunto também de que maneira isso tudo poderia refletir em sua performance nas telas.

Jack Sparrow também passa por poucas e boas no filme, enfrentando uma verdadeira onda de má sorte. O fato é que eu adoro o personagem que sempre me diverte tanto e custo a acreditar que o ator fosse capaz das atrocidades de que tem sido acusado. Me entristece muito, pois tanto o ator quanto o personagem são muito queridos pra mim. Então espero sinceramente que ele não esteja cansado do papel, e que ele possa continuar atuando como o Capitão Jack Sparrow. Quanto aos escândalos da vida pessoal dele, realmente não sei o que dizer.

Trailer

Já assistiram o filme? O que acharam desta aventura de Jack Sparrow? Deixem suas opiniões nos comentários 🙂

Para mais dicas de filmes e séries, dá uma olhada aqui. 🙂

A imagens são todas do site oficial da franquia.

Resenha: A Livraria Mágica de Paris, de Nina George

Tem livros que simplesmente acontecem na sua vida. Como se você olhasse pra ele e ele te chamasse. O livro  A Livraria Mágica de Paris, da escritora alemã Nina George, fez isso comigo. E contrariando a antiga sabedoria popular de “não julgar o livro pela capa”, foi exatamente isso que fiz. Eu o vi, e o comprei, sem saber o que esperar dele. E para minha surpresa, ele era exatamente o que eu precisava ler.

A Livraria Mágica de Paris

Monsieur Perdu e seu barco-livraria

Quem já visitou Paris sabe que ao longo do rio Siena existem vários barcos. Alguns deles sempre ancorados. No livro, Monsieur Perdu é um homem de meia-idade dono de um desses barcos, onde ele mantém uma adorável livraria.

Sua Farmácia Literária, como é chamada sua livraria, e Perdu tem o talento de “prescrever” livros para todas as dificuldades da vida. Apesar de seu inegável talento de ler bem as pessoas, o livreiro de meia-idade trancou seus sentimentos junto com todas as coisas que o lembravam de sua amada em um quartinho de sua casa.

Algumas coisas acontecem e ele se vê obrigado a reabrir aquele quarto. Mais do que isso, ele se vê obrigado a ler a última carta que sua amada deixou e que ele sequer conseguiu abrir.

A Jornada de Monsieur Perdu

Depois de passar 20 anos trancado em si mesmo, sem jamais se permitir sentir alegria alguma na vida, ler esta carta faz tudo mudar.

A Livraria Mágica de Paris

Perdu (que significa perdido em francês) se dá conta do mal que fez em simplesmente deixar de viver todos esses anos. Com a intenção de fazer as pazes com o passado e consigo mesmo, ele parte em uma viagem surpreendente com seu barco em direção ao sul da França.

Inesperadamente, um jovem e famoso escritor decide viajar com Perdu, e no caminho ambos desenvolvem uma valiosa amizade. Ambos conhecem várias pessoas ao longo de sua jornada, e a troca que se dá é muito rica. Cada personagem tem sua própria história, e Perdu vai ajudando quem vai surgindo pelo caminho.

Porque me encantei com A Livraria Mágica de Paris

Quando comprei o livro foi muito pela intuição. Olhei a capa e senti que ele seria leve e alegre. Não estava enganada, mas o que o livro me proporcionou foi muito além do que simples horas de diversão.

O livro trata de uma maneira delicada e poética a difícil superação de um luto. Todo o livro traz trechos memoráveis sobre o amor, sobre a amizade e sobre a importância de se permitir viver e sentir apesar das perdas. Mostra como família podem ser os amigos que fazemos pelo caminho.

E de quebra, quem ama livros, vai se apaixonar pela maneira como esta obra é uma verdadeira declaração de amor à eles. Fiquei com vontade de ter uma livraria para vocês terem uma ideia. E com vontade de voltar à França também.

Como vocês podem perceber, é um livro mais voltado para o público adulto. Uma aventura diferente, mas cheia de significado. Uma obra tocante. Se Monsieur Perdu existisse de verdade, certamente recomendaria este livro para as dores da alma.

A Livraria Mágica de Paris

A Livraria Mágica de Paris é publicado pela Editora Record, e a tradução é de Petê Rissatti. 🙂

Ah! No final do livro tem receitas da Provence e uma lista com todos os livros citados na obra e para que seriam prescritos. Fofo né?

Quer mais resenhas? Dê uma olhada aqui. 😉